Delegado é baleado em estouro de cativeiro no Rio

O delegado Fernando Moraes, chefe da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) da Polícia Civil do Rio, foi baleado na madrugada de hoje durante o estouro ao cativeiro de um empresário seqüestrado em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Moraes e sua equipe foram recebidos a tiros pelos marginais e o delegado foi atingido no peito por uma bala de espingarda calibre 12. Como estava usando um colete à prova de balas, Moraes - que ficou conhecido nacionalmente tanto pelos seqüestros que ajudou a solucionar quanto pelo badalado romance com Luma de Oliveira, entre 2005 e 2006 - foi ferido apenas por estilhaços da bala e atendido num hospital da região. Na operação, os policiais da DAS conseguiram libertar o empresário Alberto Gomes, de 67 anos, que estava em poder dos seqüestradores desde o último dia 19. O empresário foi localizado numa casa do bairro de Cabuçu, próximo a Seropédica, e ainda estava com as mãos amarradas quando os policiais chegaram. Gomes disse ter tido o cabelo cortado a faca para ser enviado à sua família como prova do seqüestro.Na troca de tiros, dois criminosos foram mortos. Um seqüestrador foi preso e um quarto conseguiu fugir. Além de Moraes, um inspetor da DAS também foi ferido, mas sem gravidade, por um tiro de raspão no braço. A polícia investiga a participação de um funcionário do empresário no seqüestro.

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

01 de setembro de 2007 | 12h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.