Equipe econômica resiste a liberar recursos a municípios

Apesar das pressões que têm chegado ao governo para ajudar os municípios a superar os protestos contra reajustes de preços nas tarifas do transporte público, há uma resistência na equipe econômica para que haja mais liberação de recursos. A avaliação do governo é de que a desoneração da folha de pagamentos das empresas de transporte público e a retirada do PIS e da Cofins já foram medidas importantes para aliviar os custos do setor.

RENATA VERÍSSIMO, Agência Estado

19 de junho de 2013 | 13h37

O Ministério da Fazenda também tem dificuldades para encontrar espaço fiscal neste momento para socorrer Estados e municípios. No entanto, segundo apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, a possibilidade de ajuda a prefeitos e governadores estava em análise no governo nesses últimos dias, mas perdeu força.

De qualquer forma, o governo aposta na tramitação rápida do projeto de lei que está na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado que cria um regime especial de tributação para o transporte público urbano, e, assim, permitiria baratear a passagem dos ônibus urbanos.

Diante da urgência da situação, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, alterou sua agenda prevista para esta quarta-feira, 19, para receber o presidente da CAE, senador Lindbergh Farias (PT-RJ), relator do projeto.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosBrasilrecursosmunicípios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.