Estradas em São Paulo registram menos mortes no réveillon

Redução em rodovias estaduais foi de 29% e nas federais número chegou a 50%, em comparação com 2007-2008

Solange Spigliatti e Elvis Pereira, do estadao.com.br,

05 Janeiro 2009 | 11h41

O balanço da Operação Ano Novo na rodovias estaduais de São Paulo, divulgado na manhã desta segunda-feira, 5, apresentou redução significativa nos números de acidentes e vítimas em comparação com o ano anterior. A redução no número de mortes foi de 28,94%. Da mesma maneira, nas estradas federais este réveillon foi menos violento: 50% a menos de mortes em comparação com o feriado de 2007-2008.   Veja também: Rio e Distrito Federal têm menos acidentes no réveillon    Seguindo a tendência de redução já registrada no Natal, nas estradas do Estado foram registradas 27 vítimas fatais, 1.101 acidentes e 511 vítimas feridas neste réveillon, no período de 31 de dezembro a 4 de janeiro. No feriado prolongado de 2007-2008, foram 1.188 acidentes, 821 vítimas feridas e 38 vítimas fatais, de acordo com o balanço.   Já nas estradas federais que passam por São Paulo, entre 28 de dezembro e domingo, 4, houve 282 acidentes, número 13,5% superior em relação ao mesmo período do ano anterior. O total de feridos também foi maior: 143, ante 130. Já a quantidade de pessoas mortas caiu de 8 para 4. Para a Polícia Rodoviária Federal, o aumento dos acidentes é resultado da combinação entre chuvas e fluxo intenso, além da imprudência dos motoristas.   Fiscalização   No Estado, também foram lavradas 9.067 autuações por infrações de trânsito diversas, tendo sido recolhidos 487 veículos por irregularidades, além da apreensão de 183 Carteiras de Habilitação (CNH) e de 1.494 documentos de veículos. No total, 37 motoristas foram autuados por embriaguez, sendo registrado um aumento de 68% no número de casos em relação ao mesmo período do ano passado. Nas rodovias federais, sete condutores foram detidos ao serem flagrados dirigindo alcoolizados.   Atualizada às 15h51 para acréscimo de informações  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.