Ex-premiê de Bangladesh diz que houve fraude nas eleições

A ex-primeira-ministra de Bangladesh Begum Khaleda Zia, derrotada por ampla maioria nas eleições parlamentares da segunda-feira, disse nesta terça-feira que houve irregularidades na votação. "Nós confirmamos registros de irregularidades em muitas estações de votação no país", disse ela a jornalistas, em sua primeira reação à eleição que marca o retorno do país asiático para a democracia após dois anos de um regime de emergência instalado pelo governo com o apoio de militares. "Portanto rejeitamos os resultados desta eleição", disse ela. "Nós estamos reunindo os detalhes de mais irregularidades e vamos entregar para a mídia a as autoridades apropriadas nos próximos dias", disse ele a jornalistas no escritório do partido em Dhaka. A aliança conduzida pelo Partido Nacionalista de Khaleda venceu apenas 31 dos 300 assentos no Parlamento, contra 263 conquistados por uma aliança liderada pela rival de Khaleda, Sheikh Hasina, outra ex-premiê. Um homem foi morto e cerca de 150 pessoas ficaram feridas nesta terça-feira em conflitos entre rivais políticos, um dia após a eleição, informou uma emissora de televisão. "Um homem morreu na região de Pabna, onde outros 50 ficaram feridos nos conflitos", informou a Diganta Tva, citando a polícia e testemunhas. Cerca de mais de 100 outras pessoas ficaram feridas no pós-eleições no país. (Reportagem de Anis Ahmed)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.