Flamengo pede à torcida que não provoque Ronaldo

Clube teme que craque se motive para jogo de domingo, mas organizadas prometem atacá-lo

Bruno Lousada e Leonardo Maia, RIO, O Estadao de S.Paulo

26 de novembro de 2009 | 00h00

A ordem no Flamengo é evitar, a qualquer custo, provocações a Ronaldo. Um integrante da diretoria do clube procurou ontem representantes das principais torcidas organizadas rubro-negras para pedir que não levassem adiante a ideia de entoar cânticos e estender faixas provocativos ao atacante do Corinthians, adversário de domingo, pelo Brasileiro. Mas o pedido não deverá ser aceito.

Ouvido pelo Estado, um integrante de uma das organizadas disse que, apesar do apelo dos dirigentes, os torcedores tentarão entrar no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, com cartazes e faixas com os dizeres "Ronaldo, rei dos travecos" e o chamando de traidor.

Os rubro-negros estão em divórcio com o Fenômeno desde que o jogador deixou de assinar com o Flamengo, no ano passado, depois de tratar sua lesão no joelho esquerdo na Gávea, para fechar com o Corinthians.

O protesto da torcida, lembrando o episódio em que o atacante foi parar na delegacia da Barra da Tijuca depois de se envolver em confusão com três travestis, estava marcado para o primeiro turno do Brasileiro, em 9 de agosto. Na ocasião, o Flamengo recebeu os corintianos no Maracanã, mas Ronaldo estava machucado e não jogou.

"Acho que a torcida do Flamengo não é vingativa. Quem for a Campinas estará mais preocupado com uma vitória do Flamengo, não em provocar ninguém", disse o vice-presidente geral rubro-negro, Delair Dumbrosck, minimizando a questão. Como todo cuidado é pouco na luta pelo título, ninguém do Flamengo quer provocar Ronaldo para evitar que o craque ganhe ainda mais motivação.

MARCAÇÃO ESPECIAL

"Ronaldo é equilibrado, sereno e não acredito em espírito de revanche. Ele é bem-sucedido e isso não cabe mais nele, vai querer dar seu melhor para vencer, mas não vejo sede de vingança", comentou o técnico Andrade, certo de que o atacante tem de ser vigiado de perto durante os 90 minutos, pois pode resolver o jogo em apenas um lance.

Provável responsável pela marcação a Ronaldo, o volante Willians, maior ladrão de bolas do campeonato, deu mostras no treino de ontem de que está nervoso com a difícil missão. Após uma disputa forte, Willians chutou a bola nas costas de Aírton, que se irritou e partiu para cima do companheiro. O zagueiro Ronaldo Angelim impediu que os dois se agredissem e tumultuassem o ambiente. Adriano interpelou o volante: "Está nervosinho, cara?", gritou o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.