Hackers atacam sites do governo do Brasil

Alguns sites da Internet do governo brasileiro, como o da Presidência da República, ficaram fora do ar nesta quinta-feira após ataques de hackers, segundo informaram assessores de comunicação de órgãos governamentais.

ROBERTO SAMORA, REUTERS

23 Junho 2011 | 18h13

O site da Presidência, que hospeda informações que são públicas e não sigilosas, sofreu "acessos simultâneos" em quantidade que tiraram o portal do ar.

"Mas é um ataque que gera um tráfego alto de acesso para deixar o site indisponível. Não foi para roubar dados", afirmou à Reuters por telefone uma porta-voz do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), que hospeda o site da Presidência.

Já a assessoria de imprensa da Presidência lembrou que as informações no site, que no final da tarde após o ataque já tinha voltado a funcionar, são todas públicas, como discursos da presidente Dilma Rousseff, leis, etc.

A Presidência informou ainda que foram feitos serviços de manutenção em alguns sites do governo nesta quinta-feira, com o objetivo de deixá-los mais seguros contra acessos de hackers.

Esse trabalho de manutenção também colaborou para deixar a navegação nesses sites instável, ou com problemas para acesso, segundo a assessoria.

A página do Ministério dos Esportes também foi alvo dos ataques, ficando fora do ar por boa parte do dia.

Perto das 18h, uma mensagem no site do Ministério dos Esportes (www.esportes.gov.br) informava que ele estava em manutenção.

Mais cedo, uma assessora desse ministério informou que, após uma primeira avaliação, a invasão foi considerada periférica, "sem afetar dados e o coração do sistema, sem maiores consequências."

Mesmo assim, o ministério optou por retirar do site do ar.

O grupo de hackers denominado LulzSecBrazil afirma no microblog Twitter ter copiado dados protegidos no site do ministério, mostrando supostas diferenças entre contribuições e recebimentos de dinheiro do governo federal em Estados que serão sede dos jogos da Copa do Mundo, em 2014.

Além disso, o grupo divulgou dados pessoais da presidente Dilma Rousseff, como o CPF, PIS, data de nascimento, etc. No caso do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, houve a divulgação do nome da mãe do governante, além do e-mail pessoal e CPF.

Na quarta-feira, o mesmo grupo reivindicou a autoria de um ataque ao site da Petrobras, que ficou fora do ar. O grupo também tentou na quarta-feira invadir, sem sucesso, o site da Receita Federal, segundo o governo.

(Com reportagem adicional de Carolina Marcondes)

Mais conteúdo sobre:
HACKERS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.