Lula defende ação no combate à crise e vê espaço para juro menor

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender nesta quarta-feira as medidas adotadas pelo governo para enfrentar a crise financeira mundial, durante cerimônia de aniversário da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

REUTERS

12 Agosto 2009 | 22h36

"Seria um equívoco imaginar que o fluxo de capital estrangeiro ao país reflete apenas o lado da especulação financeira", disse Lula, ressaltando que a solidez da economia brasileira é a principal razão para os investimentos internacionais no país.

De acordo com o presidente, "o fato é que o ciclo de ajuste de nossa economia foi concluído". "As curvas do emprego e da atividade industrial sinalizam uma retomada do crescimento no segundo semestre confirmado pela maior confiança da indústria e do investidor externo".

Falando para uma platéia de industriais, Lula disse ainda que há espaço para maior redução dos juros. "Temos o menor patamar de juros da nossa história. É desejável e possível cortar ainda mais".

O Comitê de Política Monetária (Copom), órgão do Banco Central que decide a taxa básica dos juros, tem a próxima reunião marcada para os dias 1o. e 2 de setembro.

Durante o evento, que celebrou os 71 anos da CNI, Lula recebeu da entidade a medalha da "Ordem do Mérito Industrial" por sua contribuição para a economia.

(Reportagem de Ana Paula Paiva e Ana Nicolaci da Costa)

Mais conteúdo sobre:
MACROLULAJURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.