Lula promete R$ 12 mi para escolas de samba do Rio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se comprometeu hoje com a liberação de R$ 12 milhões para as 12 escolas de samba do Grupo Especial do carnaval carioca. O dinheiro virá da Petrobras e das companhias petroquímicas Braskem e Unipar. Segundo o governador do Rio, Sérgio Cabral, um dos objetivos é afastar "más influências" das escolas, que têm histórico de ligação com o jogo do bicho e tráfico de drogas. "(As escolas de samba) precisam de autonomia para que más influências não prejudiquem um patrimônio do povo brasileiro", afirmou Cabral, lembrando que o carnaval foi tombado como patrimônio cultural pelo Ministério da Cultura. Questionado sobre quais seriam as más influências, o governador desconversou: "Qualquer má influência."Esta semana, o presidente da Mangueira, Percival Pires, renunciou ao cargo depois da divulgação de imagens suas na festa de casamento do traficante Fernandinho Beira-Mar com a advogada Jacqueline Alcântara de Moraes, que está presa por associação para o tráfico de drogas. Nos vídeos, Pires exaltava sua relação de amizade com o casal. Para a Polícia Federal, há grande intimidade entre o tráfico de drogas e a Mangueira.A ajuda às escolas de samba foi definida em reunião realizada hoje no Hotel Glória, zona Sul do Rio, com representantes das escolas e da Petrobras, além do ministro da Cultura, Gilberto Gil. "Não é a partir disso que o Ministério da Cultura se move no sentido de um parceiro, mas ajuda. Todo aporte de recursos a ações culturais da comunidade é um fator inibidor dos riscos da ilegalidade, do convívio com a criminalidade", afirmou Gil. Segundo a Liga das Escolas de Samba (Liesa), o carnaval carioca recebe R$ 9,2 milhões em recursos públicos - R$ 5,2 milhões da prefeitura do Rio e R$ 4 milhões do governo estadual. Depois da reunião, Lula seguiu para a Escola Naval, onde acompanhou a formatura de 165 guardas-marinha. O presidente não falou com a imprensa nem discursou.

NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

08 de dezembro de 2007 | 13h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.