Mercedes pede desculpas a um chocado Hamilton após erro em Mônaco

Os chefes da Mercedes fizeram fila para pedir desculpas a um chocado campeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton, neste domingo, depois de um erro que lhe roubou a vitória no Grande Prêmio de Mônaco.

ALAN BALDWIN, REUTERS

24 Maio 2015 | 16h24

Hamilton liderava desde a pole position até ser chamado para os boxes para trocar os pneus, quando o safety car entrou na pista a 14 voltas do fim.

Eles calcularam que ele voltaria do pitstop na liderança, mas a estratégia acabou custando a corrida para Hamilton, cuja vantagem de 20 pontos na classificação foi cortada pela metade, e entregando a vitória para o seu companheiro de equipe Nico Rosberg.

"Foi um erro da equipe", disse o presidente não-executivo do time Niki Lauda, tricampeão mundial com muita experiência em sucessos e fracassos.

"Lewis disse que não estava satisfeito com os pneus, e a equipe exagerou na reação chamando-o para os boxes. Não precisava disso, não havia motivo. Foi um erro", acrescentou o austríaco. 

"Exageraram a 10 voltas do final, em Mônaco, onde é impossível ultrapassar. Destruímos a corrida dele. Eu já pedi desculpas."

O chefe de esportes a motor da Mercedes, Toto Wolff, disse que ele também imediatamente pediu desculpas a Hamilton, que não havia cometido nenhum erro e estava destinado a uma segunda vitória no Principado.

Wolff recusou-se a culpar qualquer um, dizendo que o time vence e perde juntos, e negou que tenha havido a intenção de favorecer Rosberg na frente da administração sênior da construtora alemã.

"Eu fui vê-lo agora mesmo entre os jornalistas e pedi desculpas", disse.

Mais conteúdo sobre:
ESPORTES F1 MERCEDES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.