Mortes no trânsito superam assassinatos em São Paulo

O número de mortes em acidentes de trânsito superou o de homicídios dolosos (com intenção) no segundo trimestre do ano, informou hoje a Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP), da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP). No período, foram registradas 1.222 mortes por acidentes de trânsito, contra 1.047 assassinatos. Com base nos números, a secretaria afirma que em todo o Estado é mais arriscado morrer em um acidente do que assassinado. Os acidentes de trânsito são somados às estatísticas de homicídios culposos (sem intenção) e representam 94,3% do índice total (1.295 mortes). De acordo com a secretaria, a chamada lei seca para motoristas, que já reduz o número de acidentes no trânsito em São Paulo, não influenciou nos números porque entrou em vigor em 20 de junho, apenas dez dias antes de as estatísticas serem fechadas.A taxa de homicídios dolosos vem caindo desde 1999 e já alcançou o índice de 10,5 por 100 mil habitantes. A marca se aproxima ainda mais do objetivo da secretaria, que é chegar, até o final do ano, ao número de 10 homicídios por 100 mil habitantes - nível de países desenvolvidos, considerado aceitável pela Organização Mundial de Saúde da ONU. No Brasil, a média é de 25 homicídios por 100 mil habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.