No Rio, cinegrafistas prestam homenagem a colega morto

Cerca de 50 repórteres-fotográficos e cinegrafistas se reuniram às 17h45 desta segunda-feira, 10, ao redor da Igreja da Candelária, no centro do Rio, para prestar uma homenagem ao cinegrafista da Bandeirantes Santiago Andrade, cuja morte cerebral foi declarada pela manhã. Andrade foi atingido por um rojão de vara disparado por um pessoa ainda desconhecida durante manifestação convocada pelo movimento Passe Livre e realizada na semana passada na imediações da estação ferroviária Central do Brasil.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

10 de fevereiro de 2014 | 19h03

No ato simbólico, os jornalistas tiraram uma foto sem seus equipamentos de trabalho, que foram colocados no chão. Depois, os profissionais seguiram para acompanhar a manifestação programada para as 18h desta segunda, na praça em frente à sede do Comando Militar do Leste, mesmo local onde o cinegrafista foi atingido pelo rojão. Convocado pelo Movimento Passe Livre, o protesto é contra o aumento das passagens de ônibus (de R$ 2,75 para R$ 3,00), que vigora desde sábado, autorizado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB).

Tudo o que sabemos sobre:
protestoRiocinegrafistamortehomenagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.