Novo estudo reforça ligação entre bactéria e problema cardíaco

A presença de bactérias específicas, e de combinações de bactérias ao redor dos dentes pode explicar a relação entre a doença periodontal e a síndrome coronária aguda (SCA), de acordo com estudo publicado no Journal of Periodontology. A quantidade de bactérias orais mostrou-se duas vezes maior num grupo de pacientes afligido com SCA, na combinação streptococci spp, P. gingivalis, T. forsythia e T. denticola do que no grupo de controle. As descobertas sugerem que as bactérias T. denticola, T. forsythia e streptococci spp compartilham infecções para periodontite e SCA."Essa pode ser uma das explicações sobre por que um número elevado de bactérias e a combinação de agentes específicos em bolsões periodontais podem estar ligados a um histórico de SCA", disse o pesquisador Stefan Renvert, da Universidade Kristianstad. "Também descobrimos que a quantidade de bactérias periodontais resulta em uma resposta inflamatória que eleva a contagem de glóbulos brancos e da proteína C-reativa, que também já foram ligados a problemas cardíacos".Outra razão para que pessoas com diagnóstico de SCA poderiam ter um alto nível de bactérias orais poderia ser uma maior vulnerabilidade a infecções e falta de resposta inflamatória adequada, o que poderia induzir uma série de efeitos vasculares que tomariam parte na síndrome coronária.

Agencia Estado,

19 de julho de 2006 | 14h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.