Padilha: médicos brasileiros tiveram reações truculentas

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, criticou, mais uma vez, nesta terça-feira, 3, a reação negativa de parte de médicos do Brasil à chegada de profissionais de Cuba recrutados para participar do programa Mais Médicos. "Foram reações truculentas, mas isoladas", disse. O comentário foi feito quando Padilha anunciou que as Regiões Norte e Nordeste serão as principais beneficiadas com a chegada do primeiro grupo de 400 médicos cubanos ao País dentro do Mais Médicos.

LÍGIA FORMENTI, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 18h09

Parcela de 90% dos profissionais de saúde de Cuba, na etapa anunciada nesta terça-feira, seguirá para o Norte e o Nordeste - serão 364 profissionais. Na Região Norte, eles trabalharão em 69 cidades e 12 distritos indígenas. Na Região Nordeste, serão atendidos 105 municípios e um distrito indígena. A parcela restante de 36 médicos cubanos deste primeiro grupo trabalhará em áreas carentes em 26 cidades da Região Sudeste e em seis do Sul.

O ministro da Saúde defendeu, mais uma vez, a chegada de profissionais de saúde de Cuba ao Brasil. "Com a participação dos profissionais cubanos, já neste primeiro mês do programa, conseguiremos oferecer médicos a uma parte dos 701 municípios que não tinham sido selecionados por nenhum médico brasileiro, nem estrangeiro", disse. Padilha destacou que "este é ainda o primeiro passo, estamos no primeiro mês de chegada dos profissionais". O Ministério da Saúde anunciou que até o fim de 2013 mais 3,6 mil profissionais cubanos chegam ao Brasil. De acordo com o governo federal, os médicos cubanos ocuparão os postos remanescentes, após novas rodadas de chamamento individual de brasileiros e estrangeiros.

Na sexta-feira, 30, o ministério encerrou a segunda rodada de inscrições no programa, o que abrangerá mais 514 cidades e 25 distritos indígenas. Em relação à segunda etapa, os médicos brasileiros começam a se apresentar aos municípios no dia 1º. Os médicos estrangeiros devem desembarcar no Brasil entre 4 e 6 de outubro. Logo em seguida, entre 7 e 25 de outubro, os estrangeiros serão avaliados e recebidos nos municípios em 28 de outubro.

Mais conteúdo sobre:
Mais MédicosPadilhachegada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.