Parlamento cubano escolhe substituto de Fidel Castro

A expectativa é de que irmão Raul, que já ocupa o cargo interinamente, seja nomeado.

Da BBC Brasil, BBC

24 Fevereiro 2008 | 08h30

O Parlamento cubano deve escolher neste domingo o substituto de Fidel Castro, de 81 anos, que governou Cuba por quase meio século.A sessão histórica ocorre cinco dias após a renúncia de Castro e a expectativa é de que seu irmão, Raul, seja nomeado para o cargo, já ocupado interinamente por ele desde julho de 2006, quando o líder cubano foi submetido a uma cirurgia intestinal.Porém, Cuba também poderia optar por algum político de uma geração mais jovem, segundo o correspondente da BBC em Havana Michael Voss. Entre eles estão o vice-presidente Carlos Lage, de 56 anos, e o ministro do Exterior, Felipe Perez Roque, de 42 anos.Segundo Voss, quem assumir o governo terá a tarefa de conduzir a ilha por um período imprevisível de renovação política e econômica.ReformasA assembléia, composta por 614 integrantes eleitos em janeiro, também vai escolher um vice-presidente e todo o poderoso Conselho de Estado executivo de 32 membros.Se for escolhido durante a reunião deste domingo, prevista para começar às 10h no horário local (12h, horário de Brasília), Raul Castro indicou que vai implementar grandes reformas econômicas e estruturais.Raul se esforçou para realizar uma transição política suave, mantendo o Exército leal ao regime e fortalecendo o poder do Partido Comunista com a introdução de reformas e demitindo autoridades corruptas.Ele também conta com a vantagem do apoio econômico constante do presidente venezuelano, Hugo Chavez, por meio de milhões de barris de petróleo barato, acrescenta Voss.'Reflexões do Companheiro Fidel'Fidel Castro, que governou Cuba desde a liderança de uma revolução em 1959, anunciou sua aposentadoria em uma carta publicada na última terça-feira no site do jornal do Partido Comunista Cubano Granma.Ele disse que não renunciou após ter sido submetido a uma cirurgia intestinal de emergência em 2006 porque tinha o dever de preparar o povo cubano para sua ausência.Porém, a aposentadoria, acrescentou, não iria impedi-lo de continuar "lutando como um soldado de idéias" e ele prometeu continuar escrevendo ensaios, intitulados de Reflexões do Companheiro Fidel.Apesar de Fidel não ter sido visto em público por 19 meses, o governo ocasionalmente divulga fotos e vídeos pré-editados de encontros dele com líderes de várias partes do mundo que vão visitá-lo.O líder cubano vai ser lembrado como um dos ícones mais especiais e duradouros da segunda metade do século 20, segundo o analista da BBC Paul Keller.Sob sua liderança, Cuba estabeleceu o estado marxista-leninista do hemisfério Ocidental, praticamente dentro do campo de visão da costa americana.Ao abraçar o comunismo e o apoio da União Soviética, Fidel Castro transformou Cuba economica e socialmente, mas teve de lutar quando o sistema entrou em colapso.Ele deixa o país com um atendimento de saúde gratuito e um sistema educacional admirável, que produziu médicos para o mundo desenvolvido, porém com uma economia com problemas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.