Polícia negocia rendição de peruano há 23 horas em SP

Ele é acusado de ter atirado contra a mulher, que está grávida; ela foi ferida na perna, mas passa bem

Paulo R. Zulino, estadao.com.br

21 de maio de 2008 | 12h42

O impasse envolvendo o peruano César Anchante, de 37 anos, que chegou a manter a mulher e os filhos como reféns depois de uma crise de ciúmes, chegou a 23 horas ao meio-dia desta quarta-feira, 21. O caso teve início na terça-feira, 20, às 13 horas, quando, armado com um revólver, ele prendeu os familiares dentro de um apartamento de um prédio do Projeto Cingapura, na zona norte de São Paulo. Anchante é acusado de ter atirado contra a mulher, que está grávida. Ela foi ferida na perna, mas passa bem.De acordo com a Polícia Militar, soldados do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) permanecem no local há quase 24 horas negociando a rendição do peruano. Não foi informado pela PM se a água e a luz do imóvel chegaram a ser cortadas para pressionar César a se entregar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.