Preso suspeito de ser matador da 'Liga da Justiça' no Rio

Quadrilha de milicianos atua em favelas do Rio e seria chefiada pelo deputado estadual Natalino Guimarães

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2008 | 13h09

Alcimar Silva, o Fumão, que seria um dos matadores da "Liga da Justiça", quadrilha de milicianos que atua em favelas de Campo Grande, na zona oeste do Rio, supostamente chefiada pelo deputado estadual Natalino Guimarães (DEM), foi preso neste sábado, 26, na cidade de Contagem, em Minas Gerais. Uma equipe da Delegacia de Homicídios do Rio já o investigava e conseguiu prendê-lo no apartamento onde ele estava morando, sustentado pela milícia.   Veja também: Delegado do Rio diz que milícia fez plano para matá-lo   Segundo policiais, já existiam dois mandados de prisão contra Fumão, por envolvimento com a milícia. Ele não resistiu à prisão. O criminoso, que vinha sendo monitorado pela polícia, estava em Minas havia dois meses, sem trabalhar e sem ostentar armas. Na residência, de classe média, não foi encontrado armamento.   Fumão estaria recebendo remessas semanais de dinheiro enviadas por milicianos, para bancar seus gastos pessoais. Fumão seria responsável por matar pessoas "condenadas" pela milícia da zona oeste. Diferentemente de outros integrantes destes grupos, policiais civis e militares e bombeiros, Fumão, que tem 40 anos, é civil.   Na sexta-feira, o delegado de Campo Grande, Marcus Neves, denunciou que um plano para assassiná-lo estaria sendo traçado pelo deputado Natalino Guimarães e seu irmão, o vereador Jerominho Guimarães (PMDB), ambos apontados como líderes da "Liga da Justiça". Não há confirmação se Fumão seria encarregado da execução do delegado, que foi o responsável pela prisão do deputado, há seis dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.