Presos 3 em ação contra desvio de remédio em SP e RJ

Os governos de São Paulo e do Rio de Janeiro deflagraram na manhã de hoje força-tarefa para combater desvios de medicamentos para o tratamento de câncer. A iniciativa deteve três suspeitos e apreendeu 30 caixas de remédios oncológicos, avaliados em R$ 160 mil.

EQUIPE AE, Agência Estado

14 de fevereiro de 2011 | 21h01

Em São Paulo, a operação foi coordenada pela Corregedoria Geral da Administração e contou com reforços do Departamento de Polícia e Proteção à Cidadania (DPPC), da Polícia Civil. A investigação teve início há seis meses na Corregedoria da Saúde de São Paulo. No decorrer da ação, foram recebidas denúncias de que desvios semelhantes teriam ocorrido no Rio de Janeiro.

O delegado da Corregedoria da Saúde de São Paulo, Alexandre Zakir, explica que os remédios apreendidos em São Paulo, que representam R$ 34 mil do total, foram desviados da própria Secretaria de Saúde. No Rio de Janeiro, eles pertenciam ao Hospital Geral do Andaraí, Hospital Central da Polícia Militar e Instituto Nacional de Câncer (Inca). Foram localizadas caixas dos medicamentos Mabthera, Herceptin e Avastin. O preço da caixa desses medicamentos varia de R$ 1 mil a R$ 9 mil.

"Essa operação é apenas a ponta do iceberg. A partir de agora, temos de intensificar a investigação para saber de onde esses medicamentos vêm sendo desviados ou subtraídos", destacou o delegado da 2ª Delegacia da Saúde Pública de São Paulo, Anderson Pires Giampaoli.

Na operação realizada em São Paulo, a Vigilância Sanitária encontrou em uma distribuidora, localizada na zona sul, medicamentos de origem ainda não determinada e com prazo de validade vencido. O material, de acordo com o governo estadual, será periciado. A Polícia Civil pretende dar prosseguimento à investigação para apurar a ocorrência de crimes de receptação e de formação de quadrilha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.