Rio terá sistema de bicicletas públicas igual a Paris, diz Cabral

Em visita à capital francesa, governador Sérgio Cabral avalia projeto

Ana Carolina Moraes, BBC

20 de maio de 2008 | 03h05

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, disse que vai levar para municípios do Estado um sistema de aluguel de bicicletas públicas similar ao de Paris. Cabral participou nesta segunda-feira, na capital francesa, de uma reunião com o prefeito Bertrand Delanoë para avaliar o projeto de Paris, chamado Vélib, que foi implantado em julho do ano passado. Segundo Cabral, o objetivo é integrar a bicicleta como nova opção de transporte. "A bicicleta no Brasil é vista como um instrumento de lazer, nós queremos que ela se transforme em um instrumento do quotidiano, integrado à rede pública de transporte", afirmou Cabral durante a visita a Paris. Na capital francesa, foram instaladas mais de 1,4 mil estações com cerca de 20 mil bicicletas, que funcionam como um sistema de aluguéis. As bicicletas podem ser retiradas e devolvidas em qualquer um dos bicicletários do sistema Vélib. Segurança Questionado sobre a questão da segurança e de possíveis atos de vandalismo, o governador deu a entender que o problema não será muito diferente do verificado em Paris, onde "30% das bicicletas foram roubadas ou depenadas desde julho do ano passado". O secretário estadual de Transportes do Rio de Janeiro, Júlio Lopes, disse, entretanto, que as bicicletas vão integrar o sistema de administração Rio Card e que serão equipadas com um chip, como um telefone celular, para serem localizadas onde estiverem. De acordo com Cabral, inicialmente as estações vão ligar bairros da capital e de outros municípios fluminenses às principais estações de metrô, ônibus e barcas. As primeiras cidades a adotar as bicicletas públicas serão Niterói, Volta Redonda e Resende, mas há também projetos para a instalação de bicicletários no Rio de Janeiro, ligando os subúrbios a estações centrais. O projeto será implantado em outubro em Niterói, e, até o final do ano, na Baixada Fluminense."O Rio é a cidade da América Latina que tem a segunda maior extensão de ciclovia, com 150 km, e Paris hoje tem 400 km de ciclovias. E o projeto não é só para praia de Copacabana, Ipanema e Leblon. É para o povo pobre da Baixada, do subúrbio usar", disse Cabral. Em Niterói, a empresa Clear Channel venceu a licitação para a implantação de cem bicicletas ligando bairros do município às estações das barcas, que fazem a ligação com a cidade do Rio de Janeiro. Na Baixada Fluminense, o governo vai utilizar verbas do PAC, que estão sendo empregadas para o projeto de dragagem do Rio Sarapuí, para a construção de ciclovias em áreas em que houver remanejo de moradores. Missão empresarial Os projetos municipais são feitos com apoio do governo do Rio de Janeiro e integram o projeto estadual "Rio - Estado da bicicleta". Os prazos para a implantação das primeiras bicicletas públicas não foram confirmados pelo governador. "Não posso precisar datas, porque depende de importação de equipamentos e várias questões que ainda estão sendo resolvidas", disse Cabral. O governador está em Paris para uma visita de três dias com o objetivo de reforçar as relações com o governo francês, atrair investimentos diretos em áreas como transportes, energia, turismo e aeronáutica e promover o intercâmbio de políticas públicas. Cabral também se reuniu em Paris com o ministro do Meio Ambiente, Jean-Louis Borloo, e empresários franceses, entre eles a direção grupo L'Oreal, que anunciou a criação de um centro de pesquisas de novos produtos no Estado do Rio, com investimento de US$ 50 milhões (cerca de R$ 82,5 milhões).  BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.