Seca deixa 10 milhões sem água na China

A pior seca dos últimos 50 anos já deixamais de 10 milhões de pessoas sem acesso a água potável na provínciade Sichuan, no centro da China. Uma onda de calor já matouuma pessoa em Xangai, informa o jornal South China MorningPost.A seca, que durou mais de um mês, provocou a queda do nível dorio Yang Tse na altura da localidade de Chongqing, uma das áreasmais povoadas desta bacia. A profundidade do rio, que se encontra a apenas 3,5 metros, é amais baixa desde que o nível do Yang Tse começou a ser registrado.A média do volume de água que entrou no pântano das TrêsGargantas, na bacia do rio, foi de apenas 8.400 metros cúbicos porsegundo, o mesmo que em fevereiro - que é, habitualmente, o mês maisseco, segundo o Escritório Hidrológico do Yang Tse.Em Sichuan, a falta de chuvas e as altas temperaturas deixaramcerca de 10 milhões de pessoas sem acesso fácil à água potável,enquanto cerca de outros 2,63 milhões não recebem nenhum tipo derecurso hídrico apto para consumo. A agência oficial Xinhua informou que cerca de 17 milhões depessoas foram afetadas de alguma forma pela seca em Sichuan eChongqing. Mais de 1,34 milhão de hectares de plantações também sofrem com afalta de água na região, o que custou aos agricultores cerca de US$1,152 bilhão em prejuízos. A seca vem acompanhada por uma onda de calor.Um trabalhador dos estaleiros de Xangai morreu no domingo,em conseqüência das altas temperaturas registradas no local, quechegaram a 38,6 ºC. Para piorar a situação, o alto grau de umidade em grande parte daChina faz com que a sensação térmica seja mais alta, e o calor,muito mais asfixiante. No sábado, os termômetros dispararam até os 42 graus emChongqing, no dia mais quente desde 1959, e atingiram os 43 emJiangjin, dentro da mesma região.

Agencia Estado,

14 de agosto de 2006 | 13h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.