Valter Hugo Mãe vence Prêmio Portugal Telecom

'A Máquina de Fazer Espanhóis' levou o principal prêmio e foi apontado como melhor livro de autor lusófono

MARIA FERNANDA RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2012 | 02h03

O português Valter Hugo Mãe foi o grande vencedor do Prêmio Portugal Telecom 2012. Seu romance A Máquina de Fazer Espanhóis (Cosac Naify) não só desbancou outros fortes concorrentes - Diário da Queda, de Michel Laub, Procura do Romance, de Julián Fuks, e K., de Bernardo Kucinski -, dando ao autor o prêmio de R$ 50 mil, como também foi apontado como o melhor livro de autor lusófono publicado no Brasil em 2011 nas três categorias do prêmio: conto e crônica, romance e poesia. Por isso, ganhou outros R$ 50 mil.

O anúncio foi feito na noite de ontem no Auditório do Ibirapuera. A cerimônia foi apresentada por Maria Fernanda Cândido e Arnaldo Antunes, que cantou algumas canções.

Na categoria contos e crônicas, mais um prêmio para o curitibano Dalton Trevisan, que neste ano já ganhou o Camões e o Machado de Assis. O Anão e a Ninfeta (Record) venceu O Livro de Praga, de Sérgio Sant'Anna, Amores Mínimos, de João Anzanello Carrascoza, e Cantos do Mundo, de Evando Nascimento.

Em poesia, o artista plástico Nuno Ramos, premiado em 2009 por Ó, venceu com Junco (Iluminuras). Os outros finalistas foram o português Gastão Cruz, com Escarpas, e as brasileiras Zulmira Ribeiro Tavares, com Vesúvio, e Ana Martins Marques, com Da Arte das Armadilhas. Kucinski ganhou menção honrosa por K., pela pertinência do tema. O romance se passa na época da ditadura militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.