PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

Amigo de Temer diz que serviu de 'mula' para Padilha

José Yunes foi citado em delação de executivo da Odebrecht por supostamente ter recebido R$ 1 milhão da empreiteira em seu escritório; ele alega que não sabia o teor do documento que foi encaminhado a Eliseu Padilha

Por Valmar Hupsel Filho
Atualização:

José Yunes. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO Foto: Estadão

Assessor especial da presidência até o final do ano passado e amigo pessoal do presidente Michel Temer (PMDB) há mais de 40 anos, o advogado José Yunes disse ao Estado que intermediou o recebimento e entrega de um "envelope" para o atual ministro da casa Civil, Eliseu Padilha. A encomenda, segundo ele, foi entregue em setembro de 2014, pouco antes da eleição presidencial na qual a chapa Dilma-Temer foi reeleita, pelo doleiro Lucio Funaro, apontado por investigadores da operação lava jato como operador do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

PUBLICIDADE

Yunes disse que resolveu falar sobre o assunto para contestar a versão do engenheiro da Odebrecht, Cláudio Melo. Em delação premiada, Melo disse que Yunes recebeu em seu escritório a quantia de R $1 milhão para ser repassado para campanhas peemedebistas, via caixa 2.

O advogado afirma desconhecer o teor do envelope do qual serviu de "mula". "O Padilha me ligou e me perguntou se eu poderia receber um documento que depois seria pego por outra pessoa. Eu disse quenão teria problema", disse. Questionado, ele disse não lembrar o tamanho e a espessura do envelope.

Ele também disse que conheceu Funaro naquele dia. "Ele chegou, se apresentou, nos nós conversamos um pouco sobre política e depois ele foi embora. Mais tarde uma pessoa foi buscar a encomenda na mão de minha secretária ", disse.

Yunes, que pediu demissão logo após a divulgação do conteúdo da delação de Melo, disse que pretende entrar com uma ação judicial contra ele.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.