Campanha criada por adolescentes impulsiona voto jovem no Brasil

Iniciativa ‘Seu Voto Importa’, da Girl Up, levou 45 mil usuários ao site do TSE, estimam organizadores

PUBLICIDADE

Por Gustavo Queiroz
Atualização:
4 min de leitura

A campanha #SeuVotoImporta, coordenada pela Girl Up – que forma jovens líderes mulheres –, ganhou notoriedade ao incentivar adolescentes a tirar o título de eleitor e participar da votação deste ano. O grupo é apartidário e atua no desenvolvimento de habilidades e formação de jovens líderes. Os organizadores estimam ter levado ao menos 45 mil usuários ao site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – o prazo final para regularizar o título termina nesta quarta-feira. No Brasil, o voto é facultativo para adolescentes com idade entre 16 e 18 anos.

A campanha ganhou força ao garantir a participação ativa de meninas adolescentes em todas as etapas do processo, desde a formulação da ideia até a validação das peças de design. São elas que dão a palavra final. “A nossa campanha tem uma preocupação muito grande em fazer um chamado horizontal, de jovem para jovem”, disse a diretora executiva da Girl Up, Letícia Bahia. “São as meninas que participam e decidem. Esses processos são formativos para elas”, completou.

Adolescentes promoveram ação na Avenida Paulista, sábado. FOTO: Rebeca Figueiredo/Girl Up Brasil Foto: Rebeca Figueiredo/Girl Up Brasil

“Para nós, é evidente a oportunidade que o Brasil oferece com a questão do voto facultativo nesta faixa etária. Tem de ser um ponto de investimento nosso, fomentar a participação do jovem na política”, afirmou Letícia.

A Seu Voto Importa começou na eleição de 2020. A pandemia de covid-19, no entanto, obrigou a organização a reinventar, de forma improvisada, em apenas dez dias, uma campanha pensada originalmente para o formato presencial. A inspiração foi o cenário eleitoral americano.

Nos Estados Unidos, o voto é facultativo para todas as faixas etárias. Por isso, as campanhas pelo comparecimento às urnas naquele país são antigas. Em 1990, por exemplo, a cantora Madonna estrelou os comerciais da TV aberta durante a campanha para o Congresso americano. Na ocasião, fez uma paródia bem-humorada do próprio sucesso Vogue e trocou o refrão para “vote”.

Continua após a publicidade

Mais de 20 anos depois, a campanha Seu Voto Importa não apenas conquistou as redes sociais, com influenciadores jovens compartilhando o projeto, como foi percebida pelo ator americano Leonardo DiCaprio – ele tuitou em português o link do site. “Obrigado aos heróis da democracia no Brasil que estão ajudando os jovens a se registrar para votar. Para saber mais sobre como tirar o seu título online até hoje, acesse http://seuvotoimporta.org, http://cadavotoconta.org.br, http://olhaobarulhinho.com”, escreveu.

Juntas, as campanhas mencionadas pelo ator contribuíram para um recorde registrado pelo TSE ontem – mais de 381 mil solicitações em um só dia. Greenpeace Brasil, Girl Up e a marca Ben & Jerry’s extrapolaram as redes sociais e ofereceram sorvetes de graça para adolescentes que tiraram o título neste ano. O “Rolê dos Confirmados” foi promovido no sábado passado, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Grupo de adolescentes fez parceria com influenciadoras

A Girl Up fez parceria com influenciadoras conhecidas nas redes sociais dos adolescentes, como Miley e Mary Oliveira, Victória Collen, Mari’i Guajajara, Isa Paoli e Alexia Brito, que, juntas, falam para quase 2,5 milhões de seguidores.

Em um dos vídeos da campanha, uma jovem diz que, para os adolescentes, não basta apenas tirar o título, mas também compreender o cenário eleitoral para votar de forma consciente. “No que impacta esse voto de fato, no que impacta eu fazer uma escolha errada?”, questiona Christiane Almeida no vídeo.

Segundo Letícia Bahia, a campanha existe justamente para pensar uma comunicação mais autêntica, horizontal, que se afaste do estereótipo do “jovem acomodado” e se fortaleça na perspectiva do diálogo com os adolescentes sobre política.

Continua após a publicidade

“Esse é o caminho. Uma tônica de linguagem que não tinha sido feita ainda no Brasil. Você olha a identidade visual das campanhas, os memes, os vídeos, e as pessoas estão se divertindo para falar de eleições. Isso aumenta muito a chance de querer participar”, disse ela. “Depois do 4 de maio (hoje, prazo final para regularizar o título de eleitor a tempo de votar neste ano), temos uma outra tarefa que é fazer essa galera de fato usar seu título.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Notícias em alta | Política






Veja mais em politica