Alemanha sacrifica centenas de aves ao detectar o vírus H5N1

As autoridades da área de saúde no estado da Turíngia, no leste da Alemanha, sacrificaram na madrugada deste sábado, 7, centenas de aves de granja na localidade de Wickersdorf, onde a variante mais perigosa da gripe aviária, o vírus H5N1, foi detectada num ganso sacrificado há poucos dias. Foi o primeiro diagnóstico do vírus em aves de criação este ano. Nos últimos dias, foram detectados vários casos em espécies selvagens. "O número de aves sacrificadas pode chegar a mil", disse um porta-voz. O sacrifício continuará durante o fim de semana. Fontes da área de saúde afirmaram que a epidemia de gripe aviária se estende nos limites dos estados da Turíngia e Saxônia-Anhalt. Na represa de Kelbra foram recolhidas 153 aves selvagens mortas pela doença infecciosa. Até agora, apareceram aves contaminadas nos estados da Saxônia, Saxônia-Anhalt e Turíngia, os três no leste do país, e na Baviera, no sul. Há duas semanas surgiram os primeiros casos de H5N1 na Alemanha em mais de um ano, com vários cisnes mortos na localidade de Nuremberg. O Instituto Friedrich Löffler, encarregado das análises, elevou recentemente o nível de risco de gripe aviária de "moderado" a "alto". O último caso de gripe aviária na Alemanha havia sido em 3 de agosto de 2006, num cisne do zoológico de Dresden.

Efe

07 Julho 2007 | 21h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.