Chineses protestam contra uso de carne de gato

'Nós precisamos fazê-los corrigir esse comportamento não civilizado', disseram manifestantes

AP

18 Dezembro 2008 | 20h03

Enquanto os amantes dos animais em Pequim protestavam contra a morte de gatos para serem usados como alimento nesta quinta-feira, 18, uma açougueira na província de Guangdong - onde felinos são o principal ingrediente de uma famosa sopa - afiava seu facão.   Veja também:  Restaurantes da China oferecem carne de gato como iguaria   "Gatos têm um sabor forte. Cachorros têm um sabor muito melhor, mas se você realmente quiser carne de gato eu posso entregar amanhã", disse a açougueira que só deu seu sobrenome, Huang.   Foi essa atitude que causou indignação em cerca de 40 amantes de gatos que expuseram cartazes em um protesto emocional na sede do governo de Guangdong em Pequim. Muitos são aposentados que cuidam de gatos e dizem terem sido abordados por compradores.   "Nós precisamos fazê-los corrigir esse comportamento não civilizado", disse Wang Hongyao, que representou o grupo em uma carta pedindo que o governo provincial pare os vendedores e os restaurantes, embora não estejam quebrando nenhuma lei.   A indignação dos ativistas foi motivada por recentes reportagens em jornais chineses sobre a indústria de carne de gato. Na segunda-feira, 15, o Southern Metropolis Daily imprimiu uma história dizendo que mil gatos eram transportados de trem para Guangdong por dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.