Papa conclama humanidade a ouvir a Terra a fim de preservá-la

O papa Bento 16 disse que os seres humanos precisam ouvir "a voz da Terra" sob pena de, caso não o façam, destruírem o planeta. O pontífice, em declarações proferidas nos últimos dias de suas férias no norte da Itália, também afirmou que, apesar de haver várias provas científicas confirmando a evolução das espécies, a teoria não conseguia excluir totalmente a participação de deus no processo. "Hoje, todos percebemos que o homem pode destruir a base de sua existência, a Terra", afirmou em um encontro realizado a portas fechadas com 400 padres, na terça-feira. No dia seguinte, divulgou-se a transcrição completa do evento de duas horas. "Não podemos simplesmente fazer o que desejamos com essa nossa Terra, com o que nos foi confiado", disse o pontífice, que passou suas férias lendo e caminhando pela região da fronteira com a Áustria. Credos religiosos do mundo todo manifestam um interesse crescente pelo meio ambiente, em especial a respeito das implicações do aquecimento da Terra. O papa, líder dos 1,1 bilhão de católicos do planeta, afirmou: "Precisamos respeitar as leis internas da criação, desta Terra. Precisamos aprender essas leis e obedecê-las se desejamos sobreviver." No mês de abril, o Vaticano patrocinou uma conferência científica sobre as mudanças climáticas. Na reunião com os padres, o papa referiu-se também ao debate travado atualmente em alguns países, em especial nos EUA e na Alemanha, sobre o criacionismo e a evolução. "Essas teorias apresentam-se como alternativas que se excluem mutuamente", afirmou o papa. "Esse embate é um absurdo porque, de um lado, há várias provas científicas sobre a evolução." Mas o líder católico observou que a evolução não respondia a todas as questões: "Acima de tudo, ela não responde à grande questão filosófica sobre a origem de todas as coisas."

PHILI, REUTERS

26 Julho 2007 | 01h27

Mais conteúdo sobre:
MUNDO RELIGIAO PAPAAQUECIMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.