Processo é aberto contra jovem que ofendeu nordestinos

A Justiça Federal de São Paulo acatou denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) e abriu processo, no dia 4 de maio, contra a estudante de Direito paulista Mayara Penteado Petruso, que vai responder pelo crime de racismo.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

02 Junho 2011 | 20h43

Logo depois do resultado do segundo turno da eleição presidencial, que deu vitória a Dilma Rousseff, no dia 31 de outubro, Mayara postou no microblog Twitter a mensagem "Nordestino não é gente. Faça um favor a São Paulo: mate um nordestino afogado", que rapidamente se espalhou pelo País. O Nordeste votou maciçamente na petista.

Sem informação sobre a denúncia do MPF e a consequente abertura de processo judicial, a Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE) - que havia apresentado denúncia-crime contra Mayara no MPF-SP em cinco de novembro - entrou ontem também na Justiça Federal de São Paulo com uma ação penal privada contra a estudante. O presidente da OAB-PE, Henrique Mariano, tomou a decisão diante do que considerava "inércia" do MPF-SP e da "sonegação de informações" sobre o caso.

De acordo com o Ministério Público Federal, o caso tramitou sigilosamente "para preservar o conteúdo das quebras de sigilo telemáticas necessárias para confirmar se o perfil realmente era atualizado por Mayara".

Mais conteúdo sobre:
racismo processo twitter

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.