Turquia devolverá tabuleta de 2.700 anos para Jerusalém

A tabulta contém a inscrição de Siloam, com uma descrição da época do primeiro templo de Jerusalém

Efe

16 Julho 2007 | 14h38

As autoridades turcas querem devolver a Jerusalém uma tabuleta de 2.700 anos de idade de grande valor simbólico para o povo judeu, atualmente exposta no Museu Arqueológico de Istambul, informou a prefeitura da cidade sagrada. O prefeito de Jerusalém, Uri Lupolianski, obteve o compromisso do embaixador turco em Israel, Namik Tan, de fazer o possível para devolver a tabuleta à cidade, onde foi achada. Arqueólogos britânicos encontraram a peça em 1880 e a entregaram ao Império Otomano, que controlava Jerusalém na época. "Há uma atitude positiva por parte das autoridades turcas", que mostraram "vontade" de devolver a peça, afirmou a porta-voz da Prefeitura, Meital Jaslovitz. A tabuleta contém a denominada inscrição de Siloam, onde se descreve a época do primeiro templo de Jerusalém, destruído pelo rei assírio Nabucodonosor em 586 a.C., e a construção pelo rei Ezequias do túnel em que foi localizada. Esta construção, que é mencionada no Antigo Testamento, permitia transportar água para Jerusalém de um arroio situado fora das muralhas da cidadela em torno de 700 d.C.. A peça será provavelmente devolvida "como gesto de boa vontade e de amizade entre os dois povos", ressaltou a Prefeitura em comunicado. O ultra-ortodoxo Lupolianski se comprometeu a promover a construção de um monumento em homenagem aos soldados turcos mortos no atual Estado de Israel (então Palestina) durante a Primeira Guerra Mundial.

Mais conteúdo sobre:
arqueologia Jerusalém Siloam

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.