PUBLICIDADE

Arcebispo seqüestrado é encontrado morto no Iraque

Religioso caldeu foi levado no início do mês; corpo foi encontrado em cova rasa.

Por Da BBC Brasil
Atualização:

Paulos Faraj Rahho, arcebispo caldeu da cidade de Mosul, no norte do Iraque, foi encontrado morto nos arredores da cidade nesta quinta-feira. Homens armados seqüestraram o arcebispo caldeu no início do mês, quando o religioso deixava sua igreja no bairro residencial de al-Nour. Faraj Rahho estava em seu carro com mais duas pessoas e o motorista quando o veículo foi cercado por homens armados. Os três acompanhantes do arcebispo foram mortos na ação. De acordo com o arcebispo auxiliar católico da cidade de Bagdá, monsenhor Shlemon Warduni, os seqüestradores do arcebispo de 65 anos informaram as autoridades da igreja na quarta-feira que ele estava muito doente. Mais tarde, no mesmo dia, informaram que ele havia morrido. Nesta quinta-feira funcionários da igreja foram até o local indicado pelos seqüestradores como sendo o local onde o religioso tinha sido enterrado e encontraram o corpo em uma cova rasa. Ainda não foi determinado se a morte de Paulos Faraj Rahho foi causada pelo seu estado de saúde ou se o arcebispo caldeu foi assassinado. Papa O arcebispo foi um dos últimos clérigos caldeus a ser seqüestrado no Iraque desde o início da invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003. De acordo com o correspondente da BBC em Roma David Willey, os caldeus formam é uma das mais comunidades cristãs do Oriente. Segundo estimativas, a maioria dos cerca de 700 mil cristãos do Iraque são caldeus - católicos de rito oriental, que têm autonomia de Roma, mas reconhecem a autoridade do papa. Em Mosul, terceira maior do Iraque, a comunidade cristã é de cerca de 50 mil pessoas. Sua liturgia é feita em um idioma próximo do aramaico, a linguagem que teria sido falada por Jesus Cristo e seus apóstolos. Ainda segundo Willey, o papa Bento 16 afirmou que está profundamente entristecido pela notícia da morte de Paulos Faraj Rahho. O porta-voz do papa afirmou que o pontífice espera que o que ele chamou de "acontecimento trágico" renove o compromisso da comunidade internacional de levar a paz ao Iraque. No domingo, Bento 16 pediu publicamente pela libertação do arcebispo caldeu. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.