PUBLICIDADE

Dólar cai com esperança por Grécia, atento ao BC

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

o dólar fechou em baixa diante do real nesta sexta-feira, refletindo o otimismo no cenário internacional, mas com a queda limitada pela apreensão quanto à possibilidade de o Banco Central voltar a intervir no câmbio. A moeda dos EUA fechou em queda de 0,29 por cento, a 1,7140 real. Em relação a uma cesta de moedas, o dólar operava perto da estabilidade, com variação positiva de 0,02 por cento. No cenário internacional, cresceu a expectativa em relação a um segundo resgate financeiro para a Grécia, a ser aprovado pelos ministros das Finanças da zona do euro na próxima segunda-feira. A redução do temor de um calote desordenado do país favorece o apetite por risco e tende a enfraquecer o dólar. O Banco Central Europeu (BCE) estuda permitir que o portfólio de investimentos de títulos gregos das autoridades monetárias da zona do euro fiquem sujeitos à mesma redução de valor que o setor privado assumirá, segundo afirmaram fontes bancárias a Reuters. Nos EUA, o governo informou que o índice de preços ao consumidor teve alta de 0,2 por cento em janeiro. O indicador mostrou que a inflação continua sob controle, mas uma leitura das pressões inflacionárias subjacentes pode reforçar a cautela do Federal Reserve, que considera mais medidas de estímulo à economia. Um termômetro da atividade econômica futura dos EUA, divulgado também nesta sexta-feira, atingiu o maior nível em três anos e meio no mês passado. O mercado de câmbio no Brasil operou com pouca liquidez nesta véspera de feriado e a cotação "ficou de lado", segundo o gerente de operações do Banco Confidence, Felipe Pellegrini. Com a cotação da moeda norte-americano se aproximando do "piso informal" de 1,71 real por dólar, "existe a apreensão de que o BC possa entrar a qualquer momento", disse Pellegrini. "O dólar estava nesse nível quando o BC fez suas últimas intervenções", lembrou o gerente de operações. A autoridade monetária voltou a intervir no mercado de câmbio em 3 de fevereiro, realizando até o momento dois leilões de compra a termo e um leilão à vista. (Por Hélio Barboza)

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.