PUBLICIDADE

Empate técnico entre carro e carruagem

Por EDISON VEIGA E JULIANA DEODORO
Atualização:

Terminou empatada a disputa entre o polêmico artista plástico Eduardo Srur - a bordo de uma carruagem - e o veterano piloto Ingo Hoffmann - no comando de um BWM Mini Roadster. A corrida aconteceu às 17h15 de quarta-feira (19) na Marginal do Pinheiros, entre a Estação Granja Julieta, da CPTM, e a Ponte Octavio Frias de Oliveira.Puxada por um cavalo, chamado Zidane, o veículo de Srur levou exatos 11 minutos para terminar o percurso de 2,3 km, pela ciclovia que margeia o Rio Pinheiros. Hoffmann, a bordo do carro com 184 cavalos de potência e enfrentando o trânsito da Marginal, teria completado a prova com alguns segundos a menos. Mas os organizadores do desafio decidiram pelo empate técnico e ambos, o artista e o piloto, foram laureados com uma coroa de flores.Ao longo do dia, Srur convidou internautas a fazer suas apostas, em uma enquete realizada no Facebook. Com 59 votos a 4, a maioria acreditava que a carruagem levaria a melhor.PolêmicaA ação de quarta-feira (19) faz parte de uma intervenção artística de Srur. Até o fim de outubro, uma carruagem construída pelo artista ficará pendurada na ponte estaiada, para chamar a atenção dos paulistanos para o problema da mobilidade urbana. A obra seria instalada no dia 3, mas o artista se viu envolvido em uma polêmica com os órgãos públicos municipais. O material acabou apreendido por fiscais da Subprefeitura de Pinheiros, que informou que até então não havia recebido as autorizações da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) e da Comissão de Proteção da Paisagem Urbana (CPPU) - toda a papelada estava em trâmite.A corrida, que seria realizada no dia 6, acabou suspensa. Srur conseguiu as autorizações necessárias e instalou a obra apenas no dia 13, remarcando a inusitada corrida para a quarta-feira (19). Mas o artista não se deu por satisfeito. Ele afirma que os fiscais que fizeram a apreensão danificaram seu material. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.