PUBLICIDADE

Idoso diz ter achado R$60 mil em pote de sorvete enterrado no quintal e entrega à polícia

Aposentado havia comprado a casa para a filha e realizava manutenção do jardim de seu imóvel, e Palmas, quando encontrou a quantia em cédulas; polícia investiga o caso

Por Rariane Costa
Atualização:

Um aposentado relata ter encontrado R$60 mil enterrados no jardim de sua casa na região norte da cidade de Palmas neste sábado, 17. O valor, em notas de R$100 e R$50, estava em um pote de sorvete envolto em um plástico quando foi localizado por Raimundo Soares Sobrinho. A casa havia sido comprada há menos de um ano para a filha do idoso, mas por problemas pessoais, só foi ocupada faz poucas semanas.

No sábado, enquanto realizava manutenções no jardim, o aposentado afirma ter identificado um saco preto na terra e, ao puxar, percebeu um pote. Acreditando se tratar de lixo, Sobrinho relato ter aberto a embalagem para verificar qual seria o conteúdo quando notou o dinheiro em espécie.

Dinheiro foi apreendido e enviado para perícia Foto: Polícia Civil/Divulgação

PUBLICIDADE

“Uma quantia vultuosa enterrada abre margem para desconfiança acerca da origem. Com honestidade, ele decidiu entregar para a Polícia”, afirma Dhiogennes André Pereira Araújo, advogado do idoso.

A Polícia Militar foi imediatamente acionada pelo morador que em seguida foi encaminhado à delegacia da Polícia Civil para prestar depoimento. No local, questionado sobre os proprietários anteriores do imóvel, Raimundo informou à polícia sobre quem havia vendido a casa.

“Momentos depois fomos informados que a Polícia Federal daria seguimento nas investigações porque se tratava da mãe de uma pessoa investigada por desvio de verbas”, relembra o advogado. Ao Estadão, as autoridades não detalharam se os casos têm relação.

Quantia estava enterrada em um pote de sorvete dentro de sacos plásticos Foto: Polícia Civil/Divulgação

O valor encontrado por Sobrinho foi apreendido e encaminhado à perícia, segundo a Polícia Civil do Tocantins. As investigações agora seguem a cargo da PF.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.