PUBLICIDADE

MP investiga aprovação de criança em vestibular em GO

Por Paulo R. Zulino
Atualização:

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) está investigando os indícios de mercantilização da prestação de ensino e ausência de critérios no processo seletivo da Universidade Paulista (Unip). A instituição aprovou em seu vestibular de direito uma criança de oito anos, estudante do ensino fundamental, com desenvolvimento mental correspondente à idade. O MPF/GO quer que o Ministério de Educação, no prazo de 20 dias, realize fiscalização na UNIP, Campus Goiânia, com o objetivo de verificar a regularidade do processo seletivo adotado pela universidade. Para tanto, enviou ofício ao secretário de Ensino Superior do MEC, Ronaldo Motta, solicitando providências para o caso. O curso de direito da UNIP já está sendo investigado pelo MPF. Em fevereiro de 2005, três alunos da instituição apresentaram denúncia de que a universidade estaria repetindo matérias na grade curricular. De acordo com o procedimento administrativo, os estudantes eram obrigados a cursar dois períodos em um único semestre e, depois, teriam de repetir as matérias no décimo período do curso. No entanto, a questão foi solucionada recentemente mediante acordo entre a direção da UNIP, MPF/GO e alunos. Outro problema apresentado é a superlotação das salas de aula. Apesar da grande quantidade de alunos, a UNIP só se dispõe a dividir as turmas se o quantitativo ultrapassar 100 estudantes por sala. Por falta de acordo, a questão foi remetida ao MEC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.