PUBLICIDADE

‘Novo cangaço’: Quadrilha leva pânico a cidade de Mato Grosso; caçada mobiliza polícias de 4 Estados

Alvo do bando era empresa de segurança em Confresa; um suspeito morreu em confronto com a polícia no Tocantins

Por Fátima Lessa
Atualização:

CUIABÁ - Cerca de 15 homens fortemente armados com fuzis levaram o terror à cidade de Confresa (MT), a 1.049 quilômetros de Cuiabá. Os ataques, no estilo “novo cangaço”, foram registrados pelos moradores em vídeos que circulam na internet. Os homens bloquearam ruas e estradas. A caçada aos bandidos, como uso de aeronaves, carros e barcos, envolve policiais de Mato Grosso, Tocantins, Goiás e Pará, além de agentes da Polícia Federal.

PUBLICIDADE

O ataque aconteceu no domingo, por volta das 17 horas. Um dos integrantes do grupo morreu nesta segunda-feira, 10, em confronto com policiais militares da Patrulha Rural do Estado do Tocantins em Pium, próximo da divisa com Mato Grosso. Outro foi morto nesta quarta-feira, 12. Um está preso.

Como acontece em toda ação dos grupos estilo “novo cangaço”, os homens entraram na cidade de Confresa atirando e provocando terror nos moradores. Houve ataque ao quartel da Polícia Militar, à viatura do Corpo de Bombeiros e invasão à empresa de segurança Brinks.

Apesar da violência, o Comando Regional da PM em Vila Rica MT informou que não houve mortos, feridos ou reféns na cidade. Os policiais “revidaram impedindo essas ações, e atuaram de forma cautelosa para não colocar em risco a vida de inocentes”, disse o comando.

Ainda segundo a Polícia Militar, o grupo pretendia assaltar a empresa de transporte de valores em Confresa. Em nota, a Brinks informou que, apesar da explosão, os bandidos não conseguiram levar o dinheiro.

A quadrilha fugiu para uma região de reserva indígena. Barreiras foram montadas pelas polícias de MT, TO e GO e, segundo o secretário de Segurança de Mato Grosso, César Augusto Roveri, houve confronto com a polícia e dois veículos do bando foram destruídos.

Policiais de quatro Estados fazem cerco a bandidos. Foto: Reprodução/Redes sociais

O grupo conseguiu fugir de Mato Grosso em barcos pelo Rio Araguaia e entrou no Tocantins pelo Rio Javaés.

Publicidade

De acordo com a PM, a quadrilha invadiu uma propriedade rural onde fica o Projeto Canguçu, da Universidade Federal do Tocantins, onde teriam afundado embarcações e roubado veículos. Os homens teriam se dividido em dois grupos, um foi até a fazenda Agrojan e fez uma família refém, o grupo foi libertado durante o confronto com a polícia. Um dos integrantes da quadrilha morreu.

“Na continuidade da incursão dos policiais nós conseguimos localizar muito material. Apreendemos armamentos de grosso calibre, munições, capacetes e coletes balísticos, motor de popa”, explicou o major Marcos Morais, da PM-TO, a uma TV local.

Em nota, a Polícia Militar do Tocantins orientou a população que reside no local que evite, por enquanto, o deslocamento, sobretudo na rodovia TO-080 e vicinais adjacentes no raio de 50 km do entorno de Paraíso do Tocantins.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.