PUBLICIDADE

Sarkozy pede que EUA ajudem a liderar luta contra aquecimento

Presidente francês foi muito aplaudido durante discurso no Congresso americano.

Por BBC Brasil
Atualização:

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, pediu nesta quarta-feira, durante discurso no Congresso americano, que os Estados Unidos ajudem a Europa a liderar a luta contra o aquecimento global. De acordo com o líder francês, que foi aplaudido de pé pelos presentes na sessão conjunta do Congresso americano, os Estados Unidos têm a "obrigação" de servir como exemplo. "Os Estados Unidos sentem que têm a vocação de inspirar o mundo", disse Sarkozy. "Porque são o país mais poderoso do mundo. Porque, por mais de dois séculos, têm se esforçado para manter os ideais de democracia e liberdade." "Mas essa responsabilidade declarada vem com obrigações", acrescentou. "A primeira delas é dar um exemplo." "Aqueles que amam esse país de amplos espaços abertos, parques nacionais e reservas naturais esperam que os Estados Unidos se coloquem ao lado da Europa para liderar a luta contra o aquecimento global, que ameaça destruir nosso planeta", afirmou o presidente francês. Apesar da recepção positiva do Congresso americano, Sarkozy também reclamou ao dizer que o governo de George W. Bush permitiu que a cotação do dólar sofresse uma grande queda em relação ao euro. "O dólar não pode permanecer sendo apenas problema dos outros", afirmou. "Se não formos cuidadosos, uma desordem monetária pode se transformar em uma guerra econômica. Todos nós seríamos vítimas." O presidente francês procurou equilibrar as críticas com elogios ao que descreveu como "força espiritual e moral" dos Estados Unidos. Esta foi a primeira vez em mais de uma década que um presidente francês discursou para as duas casas do Congresso americano. "A França é amiga dos Estados Unidos", disse Sarkozy. "Podemos discutir como uma família, mas, em momentos de dificuldades, ao longo dos anos, permanecemos ombro a ombro." A agenda de Sarkozy em Washington também incluía nesta quarta-feira um encontro com o presidente americano George W. Bush para discutir a situação no Iraque, no Irã e outros assuntos relacionados ao Oriente Médio. Analistas dizem que o governo de Bush considera Sarkozy, cada vez mais, o principal aliado americano nos esforços para conter o programa nuclear iraniano. Na terça-feira, o presidente francês prometeu "reconquistar o coração da América", ao iniciar sua visita aos Estados Unidos. As relações entre os dois países ficaram estremecidas após a França se opor à invasão do Iraque em 2003. Eleito em maio, Sarkozy é considerado muito mais pró-americano do que seu antecessor, Jacques Chirac. Em 1996, muitos congressistas boicotaram uma visita de Chirac ao Congresso americano para protestar contra testes nucleares franceses realizados no Oceano Pacífico. Em um jantar com Bush na Casa Branca, na terça-feira, Sarkozy disse que diferenças sobre o Iraque não deveriam enfraquecer o relacionamento entre os dois países. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.