PUBLICIDADE

Senado e gripe H1N1 pioram avaliação do governo--CNT/Sensus

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A avaliação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva piorou em setembro por causa da crise no Senado, da maneira como o Executivo tem lidado com a questão da gripe suína e do escândalo envolvendo a ex-secretária da Receita Lina Vieira e a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). A avaliação positiva do governo caiu para 65,4 por cento ante 69,8 por cento no final de maio, mostrou uma pesquisa Sensus divulgada nesta terça-feira. "O índice de aprovação continua significativamente alto mas há uma queda efetiva", disse Ricardo Guedes, responsável pela pesquisa. "Estatisticamente a principal variável é a saúde." A avaliação negativa passou para 7,2 por cento, em comparação com os 5,8 por cento anteriores, enquanto para 26,6 por cento dos entrevistados o governo é regular, ante 23,9 por cento da sondagem de maio. ELEIÇÃO O levantamento mostrou como líder das intenções de voto o governador paulista, José Serra (PSDB), com 39,5 por cento, enquanto Dilma (PT) aparece com 19,0 por cento. A novidade no cenário principal foi a inclusão da senadora Marina Silva, que no mês passado trocou o PT pelo PV, e que surge com 4,8 por cento, ainda bem atrás de Heloisa Helena (PSOL), com 9,7 por cento. A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro com 2.000 entrevistados em 136 municípios. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. Num eventual segundo turno entre os dois principais candidatos, Serra ficou estável em 49,9 por cento --uma variação positiva de 0,2 ponto percentual. Já Dilma caiu para 25,0 por cento, ante 28,7 por cento. (Reportagem de Fernando Exman)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.