Morre Françoise Gilot, pintora, escritora e antiga musa de Picasso, aos 101 anos

Autora de obras expostas em museus de Nova York a Paris, ela foi a única mulher que deixou o artista; morte foi confirmada pela filha

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A pintora e escritora Françoise Gilot morreu, nesta terça-feira, 6, aos 101 anos, em um hospital em Manhattan, Nova York, nos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

A informação foi confirmada ao jornal The New York Times pela filha da artista, Aurelia Engel, que revelou que Françoise estava lidando com problemas de saúde no coração e nos pulmões.

Filha de uma família de classe alta, ela nasceu em 26 de novembro de 1921 em Neuilly-sur-Seine, um subúrbio de Paris, na França. Ganhou maior reconhecimento pelo relacionamento de dez anos com Pablo Picasso entre 1943 e 1953.

Quando se conheceram, ela tinha apenas 21 anos, enquanto o pintor já tinha 61. Françoise foi a única das mulheres de Picasso que o deixou após anos de traições e de ser deixada às sombras do artista.

Em 1964, ela lançou o livro de memórias Life With Picasso, escrito com o jornalista americano Carlton Lake, em que narra os anos de ternura e também crueldade vividos ao lado do pintor.

Françoise Gilot e Pablo Picasso durante exposição em 1948. Foto: AFP

A obra teve grande repercussão e fez com que o artista rompesse qualquer ligação com Françoise e com os dois filhos do casal, Claude and Paloma Picasso.

Apesar de ser constantemente associada ao pintor, Françoise já construía um caminho para si mesma antes do lançamento do livro e seus quadros já eram conhecidos no meio artístico da época.

Publicidade

Nos últimos anos de sua vida, os valores das obras da artista tiveram um aumento expressivo. Em 2021, o quadro Paloma à la Guitare (1965), um retrato de sua filha, foi vendido por 1,3 milhão de dólares (mais de R$ 6,4 milhões) em um leilão virtual.

Françoise Gilot em seu ateliê em Paris, na França, em abril de 2004. Foto: JEAN-PIERRE MULLER / AFP

Em 1955, Françoise casou-se com seu melhor amigo de infância, Luc Simon. A relação durou até 1962 e deu origem à filha mais nova da artista, Aurelia.

Ela se casou novamente em 1970 com o médico e pesquisador Jonas Salk, que desenvolveu a primeira vacina segura contra a poliomelite.

Após a morte de Salk em 1995, ela se mudou para Nova York, onde morou até o fim da vida, apesar de manter um estúdio em Paris no qual também trabalhava em seus quadros e livros.

Em 2022, Françoise Gilot concedeu um rara entrevista ao The New York Times, que foi publicada pelo Estadão. Leia aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.