Publicidade

Inflação chinesa e Alcoa puxam altas na Europa

 Indicadores de controle da inflação chinesa e resultados trimestrais da Alcoa  impulsionaram os ganhos.

Por AE
Atualização:

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta, embora longe das máximas da sessão. Os dados que mostraram inflação refreada na China e os resultados trimestrais da norte-americana Alcoa, divulgados ontem, impulsionaram os ganhos das ações, especialmente de empresas ligadas a recursos naturais. O índice Stoxx Europe 600 avançou 0,2%, para 288,07 pontos. Na Bolsa de Londres o índice FTSE-100 subiu 0,58%, para 6.313,21 pontos, depois de operar em torno da estabilidade durante quase todo o pregão. As mineradoras tiveram bom desempenho em consequência da informação de que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da China teve alta anual de 2,1% em março, abaixo da previsão de 2,4%. Vedanta Resources avançou 5,3%, ENRC ganhou 5,1% e Rio Tinto subiu 4,8%. O índice CAC-40 da Bolsa de Paris encerrou a sessão com ganho de 0,11%, aos 3.670,72 pontos. ArcelorMittal foi o maior destaque, com alta de 3,3%, beneficiada pelos lucro acima do esperado no primeiro trimestre deste ano anunciado pela Alcoa. Por outro lado, EADS teve a maior queda do dia, de 2,9%, em reação à notícia de que a Lagardère vendeu sua fatia de 7,4% na empresa. Fora do índice CAC-40, Lagardère recuou 2,6%. As montadoras pressionaram a Bolsa de Frankfurt, onde o índice DAX caiu 0,33%, para 7.637,51 pontos. A Volkswagen informou que as vendas globais da marca diminuíram 0,8% em março, na comparação com o mesmo mês do ano passado. As ações da empresa recuaram 2,6%, enquanto as da Daimler perderam 0,5%. EADS, que também tem ações negociadas em Frankfurt, fechou com baixa de 3,0%. A Bolsa de Milão avançou 1,26%, para 15.436,07 pontos, impulsionada pelo setor bancário e em meio à expectativa de que as forças políticas de centro-direita e centro-esquerda encontrem um terreno comum para formar um governo na Itália. Mediobanca subiu 5,0% e Intesa Sanpaolo ganhou 3,6%. As ações da Fiat tiveram alta de 1,6%, depois de a montadora declarar que tem dinheiro suficiente para comprar o restante da Chrysler. Telecom Italia, por sua vez, fechou com +3,8% em razão dos rumores de fusão da unidade de telefonia móvel com a Hutchison Whampoa. Em Madri, o índice Ibex-35 terminou o dia com alta de 1,10%, aos 7.872,50 pontos, puxada por BBVA (+2,7%), Santander (+1,0%), Telefónica (+1,1%) e Repsol (+3,0%). Em Lisboa o índice PSI-20 subiu 2,78%, em meio a rumores de que a troica dará mais tempo para que o país cumpra as metas determinadas pelo programa de resgate internacional. As informações são da Dow Jones.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.