Publicidade

Tesla tem queda nas vendas, com aumento da concorrência global

Empresa de Elon Musk tem visto seus rivais ganhar terreno e não tem mostrado capacidade de renovar sua linha de produtos

Por Jack Ewing (The New York Times)
Atualização:

A fabricante de carros elétricos Tesla, empresa que se acostumou com um crescimento acelerado, registrou uma queda nas vendas durante os três primeiros meses do ano, num momento em que os modelos de outras montadoras parecem estar ganhando terreno.

PUBLICIDADE

A empresa liderada por Elon Musk disse que entregou 387 mil carros em todo o mundo no primeiro trimestre, uma queda de 8,5% em relação aos 423 mil veículos no mesmo período do ano passado. O número de vendas ficou significativamente abaixo das expectativas.

A redução das vendas é o mais recente sinal de que o domínio da Tesla no mercado de carros elétricos tem se reduzido. As ações da empresa caíram 30% este ano porque os investidores estão preocupados com o fato de a empresa não estar fazendo o suficiente para responder ao crescimento da concorrência.

Na China, a Tesla enfrenta a BYD e dezenas de outros rivais com ambições de expansão mundial. Na Europa, as montadoras estabelecidas, como a Volkswagen e a BMW, lançaram produtos mais atraentes. E nos Estados Unidos as vendas de carros elétricos não estão crescendo tão rapidamente quanto há um ano.

A Tesla vem trabalhando num veículo de US$ 25 mil, mas ainda não há data de lançamento Foto: Felix Schmitt/The New York Times

A BYD disse na semana passada que vendeu cerca de 300 mil veículos elétricos no primeiro trimestre, um aumento de 13% em relação ao mesmo período do ano anterior. A empresa também vendeu 324 mil veículos híbridos plug-in no período, um aumento de 15% em relação ao ano anterior.

A Tesla foi pioneira em carros elétricos para o mercado de massa, mas sua linha de produtos está envelhecendo.

O único modelo completamente novo da Tesla desde 2020 é a Cybertruck, uma picape futurista que foi colocada à venda em volume limitado no ano passado. A versão mais barata que a Tesla diz que pode entregar este ano começa em torno de US$ 80 mil, limitando seu apelo aos usuários abastados.

Publicidade

A Tesla está trabalhando em um carro elétrico que custaria cerca de US$ 25 mil, mas não se espera que o modelo esteja à venda em grande número até 2026. Nesse meio tempo, a empresa continua dependente do veículo utilitário esportivo Model Y e do sedã Model 3 para a maioria de suas vendas.

A Tesla tem cortado preços repetidamente, mas os analistas dizem que a estratégia reduziu seus lucros sem fazer o suficiente para estimular as vendas. Recentemente, a empresa aumentou modestamente os preços de alguns carros nos Estados Unidos e na China. O Model Y começa em quase US$ 45 mil antes dos incentivos fiscais federais e estaduais, após um aumento de US$ 1 mil anunciado esta semana.

Musk não deu uma indicação clara de como a empresa planeja recuperar seu ímpeto. Ao mesmo tempo, suas declarações polêmicas e o endosso de teorias de conspiração ligadas à extrema direita afastaram muitos dos clientes de esquerda que têm maior probabilidade de comprar carros elétricos.

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.