PUBLICIDADE

Chiquinho Scarpa teve dois tipos de infecção; Entenda o quadro do empresário que continua internado

Nesta quinta, uma entrevista gravada com o socialite em que ele fala das internações e garante não ter medo da morte vai ao ar no programa ‘Sensacional’, da RedeTV!

PUBLICIDADE

Foto do author Thaíse Ramos
Por Thaíse Ramos
Atualização:

Chiquinho Scarpa está internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, desde a última quarta-feira, 22. O empresário de 71 anos foi transferido do Sírio-Libanês para a unidade de saúde depois de passar por 10 cirurgias em um período de sete meses, como divulgado oficialmente nas redes sociais do socialite. O motivo da transferência, que teve a autorização das irmãs dele, Fátima e Renata Scarpa, ainda não foi divulgado.

PUBLICIDADE

Em abril, Chiquinho, que se autodenomina conde, deu entrada no Sírio-Libanês por conta de uma infecção urinária. No hospital, ele teve um quadro de diverticulite e problemas com a cicatrização das cirurgias, o que dificultava o processo de alta, que só aconteceu em julho. Ele teve que ficar na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), chegando a ser entubado.

Quando voltou para casa, em agosto, ele usou o Twitter para dizer que estava “muito mais forte, cheio de vida e com vontade de viver” e agradeceu o carinho dos fãs. “Fico muito feliz em saber o quanto sou querido por tantas pessoas. Mais uma vez, obrigado a todos que me enviaram tanto carinho e atenção. Nunca irei esquecer”, escreveu. Em 9 de setembro, o empresário voltou ao hospital e foi operado mais quatro vezes.

Vale lembrar que, em 2009, o socialite ficou internado na UTI do Hospital Sírio-Libanês após apresentar quadro de Peritonite, que exigiu uma intervenção cirúrgica.

Entrevista ao Sensacional da RedeTV!

Nesta quinta-feira, 22, vai ao ar às 23h, no programa Sensacional, da RedeTV!, apresentado por Daniela Albuquerque, uma entrevista com Chiquinho Scarpa, gravada algumas semanas antes da última internação do conde, segunda a assessoria de imprensa da emissora. Na ocasião, o empresário deu detalhes do que o levou a ficar cinco meses internado.

À atração, ele disse que chegou ao hospital pela primeira vez em janeiro deste ano, com suspeita de infecção urinária. Durante três meses, fez uso de diferentes antibióticos para o tratamento da doença, sem obter nenhuma melhora. Frustrado, ele lamentou a demora para um diagnóstico preciso: “Acho que o médico bobeou, porque se tivesse feito um exame, saberia o que eu tinha”.

O que realmente debilitou sua saúde foi descoberto somente em abril e já em estado delicado. Chiquinho precisou ser internado na UTI. “Na realidade, tive diverticulite. Todos nós temos bolinhas que ficam na parede do intestino, (no meu caso) uma destas bolinhas inflamou e entrou dentro da bexiga. Operei seis vezes. Seis operações com seis anestesias consecutivas”, relembrou.

Publicidade

Apesar de ter ficado fragilizado, o socialite garantiu que não teve medo da morte. “Sou extremamente católico, rezo de manhã e de noite. Sempre agradecendo, nunca pedindo nada para mim. Então, nunca pedi para ficar bom. Rezo agradecendo por não ter morrido, por não ter nada. Mas acredito que perigo de vida mesmo, não tive”, disse.

Chiquinho Scarpa em evento em 2018.  Foto: Luciana Prezia / ESTADÃO

O que são Diverticulite e Peritonite?

Diverticulite é uma doença intestinal marcada pela inflamação na parede interna do intestino. Ela pode ser leve, provocando sintomas como dor e estufamento da barriga. O tratamento costuma envolver remédio para diverticulite, repouso e hidratação. Mas há também casos graves de diverticulite, que colocam a vida em risco e exigem cirurgias de urgência.

Algumas das causas desse processo inflamatório são: envelhecimento, tabagismo, constipação, uma dieta pobre em fibras, obesidade e sedentarismo.

As características da doença são saliências nas paredes do intestino grosso, os divertículos. Eles não causam males ao organismo por si sós, mas essas estruturas podem inflamar. E aí é diagnosticada a diverticulite. Ela lesiona o intestino ou promove abcessos no local, contribuindo para a proliferação de bactérias e o consequente risco de uma infecção.

PUBLICIDADE

A peritonite é a inflamação decorrente de infecção que acomete o peritônio, tecido que reveste a parede interna do abdome e recobre a maioria dos órgãos da região abdominal, como o estômago, os intestinos, o fígado e o baço. Essa infecção pode ser provocada por bactéria ou fungo.

Na maioria dos casos, a causa é uma ruptura (perfuração) na parede abdominal, mas a doença também pode se desenvolver sem que tenha havido uma ruptura abdominal; embora seja raro. Este tipo de peritonite é chamado peritonite espontânea.

Os principais sinais e sintomas da peritonite incluem dor abdominal, sensibilidade na região abdominal, inchaço ou distensão abdominal, febre, náuseas e vômito, apetite reduzido, diarreia, prisão de ventre, pouca quantidade de urina, desidratação, excesso de sede, incapacidade de evacuar ou de soltar gases e fadiga.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.