Publicidade

Michael Jordan vai vender o Charlotte Hornets, da NBA, por quantia bilionária; saiba detalhes

Lenda do basquete americano encerra período de 13 anos como sócio majoritário da franquia, mas continuará supervisionando operações da equipe de basquete

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O Charlotte Hornets, da NBA, anunciou nesta sexta-feira que Michael Jordan acertou a venda de sua participação majoritária na franquia a um grupo liderado pelos empresários Gabe Plotkin e Rick Schnall. A expectativa é de que o negócio seja concluído nas próximas horas, encerrando o período de 13 anos do ex-jogador como sócio majoritário da equipe. As informações são do repórter americano Adrian Wojnarowski.

Em 2010, Jordan pagou US$ 275 milhões para se tornar sócio majoritário dos Hornets. Agora, a lenda do basquete americano está vendendo sua parte no negócio por cerca de US$ 3 bilhões (R$ 14,5 bi na cotação atual). Aos 60 anos, Jordan deverá manter uma participação minoritária após a conclusão do acordo.

Michael Jordan está vendendo maior parte de suas ações no Charlotte Hornets por US$ 3 bilhões.  Foto: FRANCK FIFE / AFP

PUBLICIDADE

“Até mesmo nas derrotas Michael Jordan é um vencedor. Ele pagou 275 milhões de dólares (R$ 1.3 bilhão na cotação atual) para adquirir o Charlotte Hornets e agora vende a franquia por 3 bilhões de dólares (R$ 14.4 bilhões). Mas, no âmbito esportivo, os resultados não foram os esperados. Sua principal aposta, LaMelo Ball não deslanchou com lesões graves. Foram somente três classificações para os playoffs desde que se tornou dono majoritário, em 2010, sendo duas delas ainda com o nome de Bobcats”, explica Fernando Patara, cofundador e chefe de inovação do Arena Hub, centro de fomento à inovação em esporte, entretenimento e mídia da América Latina.

Schnall é sócio minoritário do Atlanta Hawks e Plotkin já possuía uma fatia menor dos Hornets. Eles aguardam a NBA concluir o processo de verificação e aprovação do negócio para, enfim, assumir a franquia. Segundo Wojnarowski, Jordan continuará supervisionando as operações de basquete até o draft da próxima quinta-feira e o início das janelas de transferências, em 1º de julho.

“Os resultados do Michael Jordan ‘atleta’ nem se comparam com o do Michael Jordan ‘cartola’. Ainda que ele não tenha conquistado grandes coisas com a sua franquia, fez um excelente negócio: comprou por menos de 10% do valor que vendeu. Aliás, Jordan costuma colecionar outras vitórias no mundo dos negócios. A tequila premium Cincoro, criada por ele e outros donos de franquias da NBA, é um grande sucesso. Sem falar na marca Air Jordan, que o filme ‘Air’ mostrou em detalhes a sua origem e como o faro para os negócios do Michael Jordan já era evidente desde cedo”, afirma Armênio Neto, especialista em negócios do esporte e sócio-fundador da Let’sGoal, empresa que conecta marcas, atletas, clubes e competições.

Natural da Carolina do Norte, Michael Jordan se tornou sócio do Charlotte Bobcats em 2006. Oito anos depois, o time passou por uma reformulação e voltou a adotar o nome Hornets, original de sua fundação em 1988. Com a camisa do Chicago Bulls, Michael Jordan foi seis vezes campeão da NBA e eleito por cinco vezes o Jogador Mais Valioso (MVP, em inglês). Ele ainda é amplamente considerado o maior jogador de basquete da história.

Os Hornets terminaram a temporada de 2022/23, vencida pelo Denver Nuggets, em penúltimo na Conferência Leste e vão ficar com a segunda escolha no draft da próxima temporada. O time nunca venceu uma edição da NBA e sua melhor campanha aconteceu na edição 1997/98, quando caíram para o Atlanta Hawks na primeira rodada dos playoffs.

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.