PUBLICIDADE

Corinthians não toma conhecimento, goleia o São Paulo e fatura 4ª taça do ano com o Paulistão

Mais de 40 mil torcedores prestigiaram ‘as brabas’ na vitória por 4 a 1 na Neo Química Arena

Por Sergio Neto
Atualização:

O Corinthians é campeão paulista de 2023! Depois dos títulos da Libertadores, do Brasileirão e da Supercopa do Brasil, as ‘brabas’ conseguiram reverter a desvantagem de 2 a 1 sofrida no jogo de ida para o São Paulo e, com apoio massivo da torcida, levantou o título neste domingo com o placar de 4 a 1 (5 a 3 no agregado).

PUBLICIDADE

Com a desvantagem por ter perdido o primeiro duelo (apenas o 3º tropeço na temporada toda) para o São Paulo, o Corinthians tinha de ir pra cima. Empurrado por uma Neo Química Arena com mais de 40 mil torcedores, foi. As comandadas de Rodrigo Iglesias tiveram as melhores chances do jogo, enquanto às tricolores restaram alguns contra-ataques sem grandes perigos.

Millene teve a primeira grande chance do jogo logo nos primeiros minutos. Após receber passe por cima, invadiu a área e chutou rasteiro. A auxiliar anotou impedimento, mas Carlinha se viu obrigada a defender com os pés para evitar o pior. O lance inflamou o jogo e o Corinthians continuou no ataque. Investindo no jogo pelas laterais, Vic Albuquerque cabeceou a bola no travessão. O lance incendiou as arquibancadas da Neo Química Arena. Foram os primeiros indícios do que viria a seguir.

Corinthians atropela o São Paulo e fatura o Paulistão feminino. Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Do lado tricolor, Ariel foi a única arma do time de Thiago Viana. Ganhou lances na velocidade, deixando defensoras corintianas para trás, mas em nenhum deles converteu em gol. Rafa Mineira fez a primeira finalização são-paulina ao bater uma falta direto no gol aos 12 minutos. Por mais que o São Paulo tentasse inibir o Corinthians, foi o time mandante quem impôs seu ritmo.

Aos 16, o grito saiu da garganta de alguns torcedores, mas Letícia Alves tirou a bola em cima da linha após cobrança de escanteio. Aos 38, o Corinthians foi premiado pela insistência. Depois de levantamento pela esquerda, Jaqueline colocou a bola no fundo das redes de cabeça, encobrindo a goleira são-paulina.

Gritos de “Timão eô” inflamaram o segundo tempo. Vic Albuquerque chutou da entrada da área aos 6 minutos, a bola explodiu no travessão, nas costas de Carlinha, e por pouco não entrou. Mas, aos 8, Tarciane aproveitou seu 1,83 metro de altura e, de cabeça, colocou o segundo gol no placar corintiano.

Então, Thiago Viana promoveu alterações no São Paulo. E elas surtiram efeito por pouco tempo. Dudinha, que tinha acabado de entrar, aos 17, fez uma verdadeira pintura de gol. Venceu Tarciane, bateu de fora da área, encobrindo Lelê. Em resposta, Vic Albuquerque aproveitou rebote e devolveu a vantagem ao Corinthians: 3 a 1.

Publicidade

Jheniffer, então, pôs o último prego no caixão são-paulino, restando ainda 15 minutos para o apito final. Novamente em bola cruzada para a pequena área, a camisa 9 nem chegou a suar. Apenas 7 segundos após sair do banco de reservas, ela levou a melhor sobre a defensora tricolor e empurrou a bola para dentro. A partir daí, a história do jogo pouco mudou e continuou seguindo o roteiro até o fim.

Esta foi a terceira vez que um Majestoso decidiu o Paulistão feminino. As outras vezes foram em 2019 e 2021, todas vencidas pelo Corinthians.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.