PUBLICIDADE

Publicidade

Zico põe CFZ à disposição para Gabigol treinar enquanto estiver cumprindo suspensão

Ex-meio-campista e ídolo máximo do Flamengo diz acreditar na inocência do atacante rubro-negro

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Maior jogador da história do Flamengo, Zico disse, nesta terça-feira, que Gabigol pode utilizar as dependências do CFZ - agremiação esportiva fundada pelo ex-meia na década de 1990 -, enquanto estiver cumprindo a suspensão de tentativa de fraude no exame antidoping, aplicada ao jogador nesta segunda-feira.

PUBLICIDADE

“Se não tiver lugar para treinar, o CFZ vai estar à disposição para ele trabalhar cedo, tarde ou noite. A gente fica triste com uma situação como essa. O único lado bom é que ele não foi punido por ter jogado dopado”, afirmou o ex-jogador, em entrevista à ESPN.

Admirador confesso do atual camisa dez, Zico disse acreditar na inocência de Gabigol. Os advogados do atleta vão recorrer da decisão e ele vai ter o auxílio do departamento jurídico do Flamengo no caso.

Zico colocou seu clube à disposição para Gabigol treinar enquanto estiver suspenso. Foto: Pablo Porciuncula/AFP

“Talvez podem ter pego o Gabigol em um dia ruim e ele pode não ter dado muita atenção para isso (sobre a disposição em fazer o exame antidoping). Vivenciei esses testes surpresas como técnico do Fenerbahçe (da Turquia) uma duas vezes nos anos em que estive lá”, afirmou Zico.

A suspensão do atacante do Flamengo é resultado da decisão do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD), que aplicou a pena em julgamento que começou na semana passada e foi concluído nesta segunda-feira. Apertada, a votação terminou em 5 votos a 4 a favor da decisão de suspender o atleta, que vai recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça.

Gabigol foi denunciado com base no artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem (CBA), que se refere a “fraude ou tentativa de fraude de qualquer parte do processo de controle antidoping”. O código prevê a suspensão de até quatro anos em caso de condenação. A pena passa a valer a partir de abril.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.