PUBLICIDADE

Publicidade

Gallo vai à Suíça ver a Croácia de perto

Missão do observador técnico da seleção brasileira é entregar a Felipão relatórios sobre adversário da estreia

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

SÃO PAULO - Coordenador das categorias de base da CBF e observador técnico da seleção brasileira, Alexandre Gallo estará nesta quarta-feira na Arena Saint Gallen para acompanhar o amistoso entre Suíça e Croácia – primeira adversária do Brasil na Copa do Mundo. Gallo deverá ver uma equipe bem diferente daquela que a seleção enfrentará no dia 12 de junho no Itaquerão.O técnico Niko Kovac não poderá com cinco jogadores. Milan Badelj, Ivo Ilicevic, Igor Bubnjic e Niko Kranjcar estão machucados enquanto Leon Benkos foi dispensado para acertar a sua transferência para o futebol chinês. Para piorar, quatro jogadores importantes, Srna, Eduardo Silva, Vukojevic e Vida, estão sem ritmo de jogo porque o Campeonato Ucraniano, onde atuam, está paralisado por causa de conflitos internos no país. "Jogamos diante de um adversário difícil, sexto colocado do ranking da Fifa e que temos de admitir que está acima da gente. Quero um resultado positivo para saber que estamos em no caminho certo", disse Kovac.Segundo adversário do Brasil no Mundial, o México enfrenta a Nigéria em Atlanta, nos Estados Unidos. Será a primeira vez que o técnico Miguel Herrera contará com jogadores que atuam na Europa.Os atletas "europeus" são: Chicharito Hernández (Manchester United), Guardado (Bayern Leverkusen), Ochoa (Ajaccio), Javier Aquino (Villarreal), Héctor Moreno (Espanyol) e Héctor Herrera e Reyes (Porto). O único que não deve ser titular é Aquino. O atacante Giovani dos Santos, do Villarreal, sofreu uma lesão na panturrilha esquerda e foi cortado. "Será um boa oportunidade de acompanhar o desempenho dessas atletas e tirar algumas conclusões", disse o treinador.Também hoje, Camarões, adversário do Brasil no dia 23 de junho, enfrenta Portugal em Leiria e tenta mostrar que não depende apenas de Samuel Eto’o (Chelsea) e possui um bom jogo coletivo graças a Alexandre Song (Barcelona), N’Kolou (Olympique de Marselha) e Chedjou (Galatasaray). 'O resultado será o menos importante. O objetivo maior é dar continuidade ao trabalho que a seleção vem desenvolvendo. Será um grande teste entre duas equipes que têm bons jogadores. Acredito que será um bom jogo para quem for assistir", disse Song.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.