Publicidade

Jogadores esperam evolução mais rápida do São Paulo

Atletas temem que demora para adquirir entrosamento prejudique as campanhas no Paulistão e na Libertadores

PUBLICIDADE

Por Guilherme Carvalho
Atualização:

Apesar das reclamações contra a arbitragem de Salvio Spínola no clássico contra o Corinthians, o fraco futebol apresentado pelo São Paulo no empate por 0 a 0 deixou os jogadores em alerta. Ninguém quer ver repetida a história do ano passado, quando a demora em se acertar fez o time ser eliminado precocemente da Libertadores e do Paulistão.   Veja também:   São Paulo pressiona e FPF afasta o árbitro Sálvio Spínola  Vote: Adriano fez falta em William?  Opine: Dagoberto sofreu pênalti de Chicão?  Bate-Pronto: Adriano e William estão certos em reclamar   "Neste ano teremos que encaixar o time mais rapidamente. Não pode acontecer como em 2007, quando deixamos para conquistar títulos só depois do segundo semestre", acredita o volante Hernanes. Para o jogador, o fato de o time ter mudado pouco em relação ao de 2007, pode ajudar. "É lógico que houve algumas mudanças e por causa disso precisamos de tempo para entrosar, mas acredito que, por a base ter continuado, o time se encaixará mais rápido", comentou. "O problema é que não temos tempo para treinar e, por isso, os testes são feitos durante o jogo", completou.   Para o atacante Dagoberto, o Campeonato Paulista serve exatamente para arrumar a equipe para o principal torneio do primeiro semestre: a Libertadores. "Temos errado muitos passes, o Paulistão serve justamente para arrumar o time. Vamos aproveitar o torneio para escolher uma formação ideal e chegar entrosado à Libertadores."   O próximo compromisso para o São Paulo mostrar se está mesmo evoluindo será na quarta-feira à noite, contra o Rio Claro, no Morumbi. Aloísio, com dores no púbis, permanece como dúvida. Até agora, o atacante só entrou em campo no segundo tempo da partida contra o Guaratinguetá, na estréia do Paulista. Adriano e Dagoberto devem formar mais uma vez a dupla de ataque.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.