PUBLICIDADE

Publicidade

Tite desembarca no Rio, mas se esquiva de perguntas sobre Flamengo e Corinthians

Livre no mercado desde a saída da seleção brasileira, treinador negocia para assumir time rubro-negro; em maio, ele foi sondado para substituir Cuca no comando do clube paulista

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Cotado para ser o próximo técnico do Flamengo, Tite desembarcou no Rio na noite desta terça-feira, dia 26,e foi interpelado já no aeroporto por flamenguistas. O ex-treinador da seleção brasileira sofreu com o assédio de torcedores do time carioca, fãs e da imprensa. Mas se esquivou das perguntas sobre o seu futuro e evitou citar o Flamengo, clube com quem negocia para assumir o comando, ou até mesmo o Corinthians, que desejava contar com o treinador antes de contratar Vanderlei Luxemburgo, que fica ao menos até as eleições no clube, em novembro.

“Estou vindo com a família. Viajei com a minha família”, alegou o treinador, tentando driblar as perguntas sobre possível acerto com o Flamengo. “Eu respeito vocês, bom trabalho. Dá licença... Eu tenho residência aqui faz sete anos. Obrigado, gente”. Bom trabalho a vocês”, declarou Tite sem entrar no assunto de sua volta ao trabalho.

Questionado sobre se aceitaria comandar o Flamengo agora, já na reta final da temporada, o técnico disse fazer suas escolhas com base apenas em “respeito, educação e princípio”. “Qualquer coisa que falar, vocês vão fazer uma analogia. Se alguma coisa me pauta, é o respeito. A educação, os princípios. Eu não posso falar, eu respeito o trabalho de vocês. Não sou eu que falo. Eu respeito o Flamengo, respeito o Corinthians e respeito o São Paulo”, comentou.

Tite permaneceu seis anos à frente da seleção brasileira. Foto: Patricia Pinto/Reuters

PUBLICIDADE

Tite se tornou a bola da vez no clube carioca diante da situação insustentável vivida por Jorge Sampaoli, muito criticado pela torcida em razão das fracas apresentações da equipe na final da Copa do Brasil. A perda do título para o São Paulo, no fim de semana, fez a direção do clube acelerar a procura por um substituto. Sampaoli já deixou claro que não pedirá as contas. Há uma multa de R$ 15 milhões para ele receber se for demitido.

Tite, por sua vez, está sem atuar como treinador desde o fim do ano passado, quando deixou a seleção brasileira após a Copa do Mundo do Catar. Ele tinha o objetivo de comandar um clube na Europa, mas o plano ainda não vingou. Nas últimas semanas, o técnico passou a considerar a possibilidade de trabalhar no Brasil, novamente como treinador de clube. Ele poderia, inclusive, iniciar seus trabalhos no time rubro-negro ainda em 2023, para a reta final do Brasileirão. Mas Tite só aceitaria ‘conversar’ sobre o trabalho abertamente se o Flamengo não tivesse treinador no cargo.

Neste ano, ele recebeu sondagens de Duílio Monteiro Alves para assumir o comando do Corinthians. Apesar da decisão de não assumir nenhum clube brasileiro em 2023, Tite teve ao menos três contatos diretos durante a temporada. A última oferta se deu em maio, após a saída de Cuca do comando da equipe paulista. Ele ainda aguardava propostas do futebol europeu, que não vieram.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.