PUBLICIDADE

Zagallo: CBF decreta luto oficial e um minuto de silêncio; Infantino o descreve como ‘padrinho’

‘A história da Copa do Mundo não pode ser contada sem Mário Zagallo’, escreveu o presidente da Fifa em comunicado oficial

Por Sergio Neto
Atualização:

A morte de Zagallo, como não poderia deixar de ser, foi muito sentida dentro do mundo do futebol. Clubes, jogadores e entidades esportivas prestaram suas homenagens ao único tetracampeão do mundo, como jogador, técnico e coordenador. O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, declarou luto oficial de sete dias e um minuto de silêncio nas partidas. O presidente da Fifa, Gianni Infantino, lamentou a morte do Velho Lobo e o descreveu como ‘padrinho do futebol brasileiro’.

Aos 92 anos, Zagallo vinha lutando por sua recuperação desde que foi hospitalizado no dia 26 de dezembro. Ele estava internado no Hospital Barra D’Or, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A causa de sua morte foi falência múltipla de órgãos. O anúncio em suas redes sociais na madrugada de sábado pegou o mundo do esporte de surpresa. Ednaldo Rodrigues, prontamente se solidarizou com a situação.

“A CBF e o futebol brasileiro lamentam a morte de uma das suas maiores lendas, Mário Jorge Lobo Zagallo. A CBF presta solidariedade aos seus familiares e fãs neste momento de pesar pela partida deste ídolo do nosso futebol “, disse o presidente da CBF em comunicado oficial. “A CBF decreta luto de sete dias em homenagem à memória do seu eterno campeão e se compromete em reverenciar o seu legado. Em 2022, inauguramos uma estátua em homenagem ao eterno campeão no Museu da CBF e não esqueceremos da emoção que compartilhamos.”

Mundo do futebol homenageia Zagallo, que morreu aos 92 anos nesta sexta-feira. Foto: Nelson Almeida/ AFP

PUBLICIDADE

Gianni Infantino, também neste sábado, compartilhou uma mensagem lamentando o ocorrido. Para ele, Zagallo, era tido como um ‘padrinho’ para o futebol brasileiro, além de ser uma “presença tranquilizadora, um guia e um gênio tático”. Confira, abaixo, a declaração completa do presidente da Fifa nas redes sociais da entidade.

É com grande tristeza que tomamos conhecimento da morte de um dos verdadeiros grandes nomes, um homem cujo impacto na Copa do Mundo da FIFA é incomparável.

Mário Zagallo venceu quatro Copas do Mundo FIFA, como jogador e depois como técnico; mais do que qualquer outra pessoa. Mas o seu legado não pode ser resumido em números. A influência de Zagallo no futebol, e no futebol brasileiro em particular, é suprema.

Vencedor de duas Copas do Mundo da FIFA como jogador, ele treinou a seleção brasileira que, construída em torno de outro de seus maiores filhos, Pelé, venceu a Copa do Mundo da FIFA de 1970 em um estilo que continua a inspirar gerações depois. O Brasil teria que esperar mais 24 anos pela glória na Copa do Mundo da FIFA e Zagallo foi novamente envolvido como assistente técnico de Carlos Alberto Parreira.

Publicidade

Em tempos de necessidade, o Brasil olhou para ‘O Professor’ como uma presença tranquilizadora, um guia e um gênio tático.

Ele será lembrado como o padrinho do futebol brasileiro e sua presença fará muita falta para todos no esporte, mas principalmente aqui na FIFA.

A história da Copa do Mundo FIFA não pode ser contada sem Mário Zagallo.

Desejo enviar minhas mais sinceras condolências ao Brasil, à Federação Brasileira de Futebol e à sua família e amigos.

O Real Madrid, também pego de surpresa com a notícia que abalou o mundo do futebol, também emitiu um comunicado oficial lamentando a morte de Zagallo. Confira:

O Real Madrid CF, o seu presidente e o seu Conselho de Administração lamentam profundamente a morte de Mário Jorge Lobo Zagallo, lenda do futebol brasileiro e mundial.

O Real Madrid quer expressar as suas condolências e amor à sua família, aos seus companheiros, aos seus clubes e a todos os seus entes queridos.

Publicidade

Como jogador, Zagallo jogou pelo América FC, Flamengo e Botafogo, e sagrou-se campeão mundial pela Seleção Brasileira em 1958 e 1962.

Como treinador, sua carreira o levou a se tornar uma lenda no banco. Ele treinou diversas equipes brasileiras e do Oriente Médio. Como técnico do Brasil, sagrou-se campeão mundial em 1970, e da Copa América e da Copa das Confederações em 1997. Em 1994 também sagrou-se campeão mundial como auxiliar do técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, sagrando-se tetracampeão mundial campeão.

Liderando a seleção da Arábia Saudita, conquistou a Copa da Ásia em 1984.

Zagallo morreu aos 92 anos. Descanse em paz.