EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Futebol, seus bastidores e outras histórias

Opinião|Corinthians derruba as previsões e prova que a lógica do futebol é misteriosa

Elenco ‘veterano’ e desequilibrado nunca foi problema para esse time na temporada

PUBLICIDADE

Foto do author Robson Morelli
Atualização:

O Corinthians driblou todas as previsões feitas sobre o seu comportamento na temporada para provar que a lógica no futebol é misteriosa e que ela caminha por vias tortas, derrubando, em muitos casos, concepções pré-formadas. O big date, também aplicado dentro das quatro linhas, nem sempre é capaz de retratar o desempenho de um time e suas ações em campo, palco passível de invencionices e superação que as métricas ainda não são capazes de mapear com precisão.

PUBLICIDADE

Quem achava que o Corinthians fosse ficar pelo caminho por causa da quantidade de jogadores acima dos 33 anos e da fragilidade de seu elenco, se deu mal. Não foi isso o que aconteceu. A semana é especial para esse Corinthians que deu de ombros para a desconfiança. O time faz a primeira partida da decisão da Copa do Brasil contra o Flamengo. Joga, por definição do sorteio, o primeiro confronto em sua casa, diante de sua torcida, na Neo Química Arena, em Itaquera, onde outra barreira foi vencida na temporada, a do torcedor que não acreditava. Há meses, o Corinthians coloca mais de 40 mil torcedores em sua arena em qualquer jogo.

Então, já é hora de abandonar o discurso de que o elenco corintiano não merece respeito, tampouco vai dar em nada. Já deu. Disputar a final de uma das competições mais almejadas do calendário brasileiro é façanha e tanto. Suas chances contra o Flamengo também aumentaram por causa desse desempenho torto. Em algumas partidas, o Corinthians foi um time bem organizado em todos o seus setores. Renato Augusto é, sem dúvida, o condutor dessa equipe e o maior responsável por ela estar na final da Copa do Brasil.

Corinthians ignora previsões e limitações do elenco na atual temporada do futebol brasileiro. Foto: Carla Carniel/Reuters

Mas não o único. Cássio, Gil, Fagner, Fábio Santos, Róger Guedes e Du Queiroz acreditaram no time e se entregaram em todas as partidas, ora com mais competência, ora com menos. Vítor Pereira entendeu rapidamente o que é o futebol brasileiro e, por vezes, abriu mão de jogar como queria para somar os pontos que precisava. Tem muito mérito do treinador português nisso.

É dessa forma então, passando por cima das previsões, que o Corinthians tem fé em ser páreo ao Flamengo. Não sei se será. A qualidade técnica no futebol ainda tem muito peso, assim como o trabalho de um ano inteiro com o mesmo treinador. Prezo por isso.

Publicidade

Mas se a Copa do Brasil é o ‘Santo Graal’ do Corinthians nesta temporada, a campanha do time ainda tem méritos no Campeonato Brasileiro, com sua presença entre os primeiros colocados na maior parte da disputa, sem perder de vista os rivais e o líder Palmeiras.

Nesta quarta-feira, contra o Flamengo, nenhum problema caseiro vai atrapalhar o Corinthians. Nenhum. Idade, contusão, desânimo, falta de entrega... O único problema a ser superado é mesmo o Flamengo e seus melhores jogadores.

Opinião por Robson Morelli

Editor geral de Esportes e comentarista da Rádio Eldorado

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.