PUBLICIDADE

Terremoto de magnitude 7,6 nas Filipinas gera alerta de ‘tsunami devastador’ para países da Ásia

Segundo autoridades, é esperado que ondas atinjam o sul das Filipinas e partes da Indonésia, Palau e Malásia

Foto do author Redação
Por Redação

As autoridades das Filipinas alertaram para um “tsunami devastador” e orientaram os moradores das zonas costeiras a deixarem a região, depois de um terremoto de magnitude 7,6, seguido de um forte abalo secundário, ter atingido a ilha de Mindanau, no sul do arquipélago, neste sábado, 2.

PUBLICIDADE

O terremoto ocorreu às 22h37 (11h37, no horário de Brasília), a uma profundidade de 32 quilômetros, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos. Não houve relatos imediatos de danos ou vítimas.

“Espera-se um tsunami devastador com alturas de ondas potencialmente fatais”, declarou o Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia na rede social X (ex-Twitter). Ondas de mais de um metro acima da média podem atingir a costa, segundo o instituto, que pediu às pessoas nas províncias de Surigao del Sur e Davao Oriental a “saírem imediatamente” da área para regiões mais altas ou para o interior do país.

O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico disse que, com base na magnitude e localização, é esperado que as ondas do tsunami atinjam o sul das Filipinas e partes da Indonésia, Palau e Malásia.

Os proprietários de barcos em portos, estuários ou águas costeiras rasas ao largo das duas províncias devem proteger os seus barcos e afastar-se da zona portuária, disse a agência do terremoto no seu alerta de tsunami. Os barcos que já estão no mar devem permanecer no mar, em águas profundas, até novo aviso, afirmou.

Moradores deixam a cidade de Hinatuan, nas Filipinas, após um terremoto de magnitude 7,6, que provocou alerta de tsunami para a região.  Foto: LGU/Divulgação via REUTERS

As Filipinas, um dos países mais propensos a desastres do mundo, sofrem regularmente terremotos e erupções vulcânicas devido à sua localização no “Anel de Fogo” do Pacífico, um arco de falhas sísmicas ao redor do oceano. O arquipélago também é atingido por cerca de 20 tufões e tempestades todos os anos./AFP e Associated Press

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.