PUBLICIDADE

Homem ateia fogo a si mesmo perto de tribunal que julga Trump em NY

O homem foi levado ao hospital após policiais e bombeiros apagarem as chamas de seu corpo

Foto do author Redação
Por Redação

NOVA YORK-Um homem ateou fogo em si mesmo na tarde desta sexta-feira, 19, perto do Tribunal Penal de Manhattan, em Nova York, durante a seleção do juri no julgamento criminal do ex-presidente americano Donald Trump.

O homem se encharcou com um líquido do outro lado da rua do tribunal. Cidadãos que caminhavam na rua gritaram quando chamas laranja brilhantes engolfaram o homem. Não ficou claro o que motivou sua ação.

Paramédicos atendem uma pessoa que se ateou fogo na entrada do Tribunal Criminal de Manhattan, em Nova York, que está realizando uma audiência para tratar das questões judiciais do ex-presidente americano Donald Trump  Foto: Michael M. Santiago/AFP

As pessoas correram para tentar apagar o fogo, mas a intensidade do calor podia ser sentida a metros de distância.

Depois de alguns minutos, dezenas de policiais correram e tentaram reduzir as chamas. O homem, que parecia estar vivo, foi colocado em uma ambulância e levado a um hospital. O homem estava em uma área isolada para apoiadores de Trump.

Julgamento

PUBLICIDADE

O tribunal de Manhattan escolheu na quinta-feira, 18, as 12 pessoas que vão julgar se Donald Trump é culpado ou inocente nas 34 acusações por fraude fiscal do caso Stormy Daniels. A seleção avançou rapidamente, após uma reviravolta nesta que é considerada uma etapa crucial do julgamento. Seis suplentes também já foram escolhidos.

As 34 acusações envolvem a falsificação de documentos contábeis do seu império empresarial, a Trump Organization, supostamente para esconder os pagamentos feitos a Stormy Daniels com objetivo de esconder um caso antes das eleições de 2016. O ex-presidente nega.

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump chega ao Tribunal Penal de Manhattan nesta sexta-feira, 19 de abril  Foto: Spencer Platt/AP

O depósito de US$ 130 mil foi adiantado por Michael Cohen, na época, advogado e homem de confiança de Trump, condenado em 2018. Ao longo do julgamento, a acusação precisará demonstrar que o magnata sabia dos pagamentos e Cohen deve ser uma das principais testemunhas.

Publicidade

Esta é uma das muitas frentes jurídicas abertas contra Trump, que afirma ser vítima de “uma caça às bruxas”. O candidato republicano também é acusado por tentar reverter os resultados das eleições presidenciais de 2020 e pelos documentos confidenciais encontrados na mansão de Mar-a-Lago, Flórida.

Até aqui, o ex-presidente e seus advogados têm tido sucesso na estratégia de empurrar ao máximo a conclusão dos processos. No caso dos documentos, o julgamento está marcado para 20 de maio, mas o cronograma é incerto. As duas ações envolvendo as eleições (uma do Departamento de Justiça e outra em tramitação no Estado da Georgia) seguem sem data marcada./com NYT

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.