Jornais iranianos omitem protestos e confrontos

PUBLICIDADE

Por AE
Atualização:

Os jornais de oposição do Irã desapareceram das bancas. As imagens dos confrontos entre os manifestantes e a polícia nas ruas de Teerã, que correram o mundo, não estão nos jornais iranianos, sejam do governo ou os considerados ?independentes?. Eles preferiram dar destaque ao comunicado do líder espiritual do país, Ali Khamenei, recomendando aos iranianos que aceitassem o resultado da eleição, que reelegeu o presidente Mahmoud Ahmadinejad.?Líder Khamenei: ''Jovens têm de tomar cuidado''?, diz a manchete de ontem do jornal independente Farheektegan. A publicação destaca o argumento do líder, de que mais de 80% dos eleitores compareceram às urnas - foram 85%, segundo a Comissão Eleitoral - e mais de 24 milhões votaram em Ahmadinejad. ?É uma festa que causará desenvolvimento, glória e alegria ao país?, disse o líder. Ao lado da manchete, há uma declaração do ministro do Interior, Sadeq Mahsouli, advertindo que ?impedirá todas as aglomerações ilegais e protestos?. O jornal Etelad, considerado independente, também destaca em sua manchete uma frase de Khamenei: ?Mensagem do líder: ''Sexta-feira foi um dia inesquecível para o povo.''? O candidato opositor e ex-primeiro-ministro Mir Hossein Mousavi pediu ontem oficialmente a anulação das eleições presidenciais iranianas, realizadas na sexta-feira. Pelo segundo dia consecutivo, milhares de pessoas saíram às ruas para protestar contra os resultados da eleição iraniana. Eles foram dispersos com golpes de cassetete e bombas de gás lacrimogêneo. Dezenas de manifestantes foram presos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.